Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

segunda-feira, 3 de abril de 2017

A vereadora Gladys errou

Uma vereadora não pode perder as estribeiras como a vereadora Gladys perdeu ao usar a Tribuna da Câmara de Vereadores de Búzios para chamar uma determinada blogueira da cidade de "vagabunda". Por mais que ela tenha lá seus motivos pessoais para tal, a Tribuna de forma alguma pode ser usada para ataques pessoais de tão baixo nível. Ainda bem que o Presidente da Casa, vereador Cacalho, interveio prontamente advertindo a vereadora e mostrando o seu desacordo com o teor de seu discurso. Nem precisou cassar sua palavra, como prevê o regimento nessas ocasiões. 

A vereadora precisa usar o mesmo espaço da Tribuna para se desculpar publicamente do erro cometido. 

Agora é preciso esclarecer que pessoas do governo municipal, ou sustentados financeiramente por ele, com dizem, provocaram, e vem provocando há muito tempo a vereadora para que tal fato acontecesse. Ao dizer isso, não quero arranjar desculpas para a vereadora, pois reafirmo que ela errou feio. 



O que quero é alertar que muitos (as)  dos (das) que estão pedindo a cassação do mandato da vereadora por quebra de decoro parlamentar, não estão e nunca estiveram preocupados realmente com decoro parlamentar. O que querem, na verdade, é silenciar a vereadora, para que ela e os demais vereadores do G-5 não continuem seu trabalho de fiscalização dos malfeitos cometidos pelo governo André. O objetivo final é destruir o G-5 restaurando a Câmara do Amém, pela qual sonha diuturnamente o Prefeito Dedé.   


Todos sabem que não se quebra decoro parlamentar apenas quando o vereador se excede em sua crítica pessoal. Por que então nenhum desses que pedem a cassação do mandato da vereadora Gladys agora, não pediram também a cassação do mandato de seis vereadores da legislatura passada qualificados de "canibais, carnívoros e achacadores" pelo Prefeito André Granado? Aqueles vereadores que o Prefeito André chamou de despachantes do mercado imobiliário. Aqueles que entravam na sala do Prefeito e falavam de condomínio "ao invés de falar de creche ou para falar de hotel, em vez de falar de escola”. Isto também é quebra de decoro parlamentar. E muito mais grave ainda! 

Observação: um blogueiro chapa branca ridicularizou a vereadora por ter falado "brogueiro", como se fosse o suprassumo da inteligência buziana. Recentemente, em artigo na prensa do dedé, falou em limite "providencial", quando queria dizer "prudencial". Quem tem telhado de vidro ... deve providenciar prudência.