Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Como pinto no lixo 2

Pinto no lixo, blog cuspindoproalto

No dia 9 de maio de 2014 publiquei o post "Como pinto no lixo" ("ipbuzios") onde relatava os resultados das inspeções realizadas pelos técnicos do TCE-RJ nos 91 municípios  (exceto capital) do estado do Rio de Janeiro. As inspeções tinham por objetivo  "verificar as condições de organização e funcionamento dos serviços públicos de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos no que se refere ao planejamento e organização da gestão, coleta de resíduos sólidos (urbanos e de serviços de saúde) e sua destinação final". Elas foram feitas em 2012 porque o Tribunal  escolheu o tema "resíduos sólidos" como o de maior significância nesse ano (http://www.tce.rj.gov.br/70).

Os gestores públicos fazem de tudo para esconder seus gastos com a prestação do serviço de limpeza pública urbana, coleta e disposição final de resíduos sólidos. Até mesmo para o TCE-RJ, que tem a atribuição de fiscalizar as contas de gestão dos prefeitos do estado, tiveram muitas dificuldades em obter informações sobre esse gastos. Dos 91 municípios inspecionados em 2011, o TCE-RJ não soube informar a quanto monta o gasto com limpeza pública de 18 municípios fluminenses. 

Retorno ao tema, porque o TCE-RJ, renovado depois das prisões e afastamento de 6 dos 7 Conselheiros Titulares,  vem se debruçando seguidamente sobre o tema, inclusive alertando os gestores públicos dos municípios do estado do Rio de Janeiro a respeito de manobras de alguns prefeitos que enviam para o tribunal editais repletos de impropriedades para, dessa forma, produzir situação emergencial a fim de efetuar contratação por dispensa de licitação. São as chamadas emergências "fabricadas".    

Todos sabemos que, a nível municipal, assim como os grandes bancos e as grandes empreiteiras a nível nacional são os principais financiadores das campanhas presidenciais, as empresas de lixo, assim como as empresas de ônibus, são os grandes financiadores das campanhas eleitorais municipais. Fala-se também que bancam mensalinhos de vereadores que participam das bases parlamentares de sustentação dos prefeitos nas câmaras municipais. Portanto, pode-se inferir que quanto maior for o sobrepreço pago pelo serviço de limpeza pública por determinado município, maior é a probabilidade de existir corrupção na prefeitura.

Uma forma de estimar o sobrepreço é compará-lo com o preço médio mensal por habitante por município levantado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (ABRELPE). Em 2011, para a associação a média mensal custo/habitante para a Região Sudeste foi de R$ 11,95. Em 2015, a média da região foi de 12,98 e a nacional, de R$ 10,15. 

Em 2011, Armação dos Búzios gastou em média absurdos R$ 37,47 por mês/habitante com o serviço de limpeza urbana- o maior gasto entre todos os 91 municípios do estado. O gasto médio/mensal/habitante foi quase três vezes superior ao gasto da Região Sudeste (11,95). Para uma população estimada em 28.279 habitantes, Búzios dispendeu R$ 12.390.842,15 para coletar 6.700 toneladas de RSU no ano de 2011. O que representa 1,855 kg de RSU coletado diariamente em média por habitante, bem superior à média nacional de 2015 que foi de 0,972 kg e à média da região Sudeste que foi de 1,220 kg. E até mesmo da média de 2015 do estado: 1,323 kg. 

Não sei quanto Búzios está gastando atualmente com limpeza pública, mas mesmo que esteja gastando o mesmo que gastava em 2011, o gasto é absurdamente alto e injustificável. Ou seja, se estiver gastando 12 milhões por ano para uma população estimada de 31.674 habitantes em 2016, estaremos gastando em média mais de 30 reais por mês/habitante. Um absurdo. 

Mesmo que os dados abaixo sejam de 2011, de seis anos atrás, é importante publicá-los porque é o único levantamento disponível da verdadeira caixa preta que é a limpeza pública municipal. Estamos diante de uma raridade. 
  
Maiores médias de gastos mensais per capita com serviços de limpeza urbana no estado do Rio de Janeiro em 2011,  em reais (entre parenteses o gasto anual): 

1º) Armação dos Búzios - 37,47 (12,390 milhões)
2º) São João da Barra -  36,56 (14,368 milhões)
3º) Trajano de Moraes - 36,43 (4,497 milhões)
4º) Casimiro de Abreu - 33,80 (14,336 milhões)
5º) Mangaratiba - 33,78 (14,779 milhões)
6º) Cabo Frio - 31,38 (70,127 milhões em 2011; 72,000 milhões em 2017)
7º) Porto Real - 28,96 (5,766 milhões)
8º)  Quissamã - 21,66 (5,261 milhões)
9º) Rio das Ostras - 20,22 (25,639 milhões)
10º) Macaé - 18,31 (45,415 milhões) 
11º) Paraty - 17,87 (8,047 milhões)
12º) Macuco - 16, 64 (1,052 milhões)
13º) Niterói - 15,81 (92,503 milhões)
14º) Itatiaia - 13,02 (4,495 milhões)
15º) Laje de Muriaé - 12,82 (1,152 milhões)

Média diária de Resíduo Sólido Urbano (RSU) coletado por habitante em 2011(em kg):
1º) Mangaratiba - 4,909
2º) Guapimirim - 2,914
3º) São Fidélis - 2,896
4º) São João da Barra - 2,857
5º) Angra dos Reis - 2,715
6º) Sumidouro - 2,470
7º) Comendador Levi Gasparian - 2,10
8º) Armação dos Búzios - 1,855
9º) Campos - 1,740
10º) Itaperuna - 1,707

Comentários no Facebook:


Comentários
Ronaldo Cruz Ae tem heim 🤔 🤔🤔🤔🤔🤔
Gerenciar
Paulinho Da Saúde É o que chamo de multiplicação bacteriana. Pq para justificar isso so o lixo dando cria na mesma proporção
Gerenciar
Ricardo Guterres Estamos na mão da máfia do lixo.....
Gerenciar
Maria Cristina G Pimentel E não temos coleta seletiva. Cadê o nosso dinheiro? No lixo?
Gerenciar
Paulo Borges Junior Se não temos nem lixeiras...
Nem coleta seletiva...
Nem campanhas de conscientização ...

Da a impressão que a desordem e calculada !
Gerenciar
Maria Elena Olivares S empre foi caro e nao da para ver os resultados,
Gerenciar
Maria Elena Olivares Porque nao tem educacao ambiental nem plano de residuos solidos , o lixo se espalha pela cidade
Gerenciar
Tayrone Floresta Ainda temos parte da população muito mau Educada em Búzios Ambientalmente falando, principalmente a classe média alta, vejo isto pelo Bosque de Geriá Bairro nobre aonde os ricos na sua maioria jogam seus entulhos em áreas verdes, calçadas e esquinas, são sorrateiros pois delegam este sujo papel aos zeladores e caseiros, uma falta completa de Educação e vergonha, por isso nosso lixo também custa caro, recolher, já que a cada 03 dias aqui passam máquinas e caminhões com funcionários.
Gerenciar
Heidi Lanzellotti · 20 amigos em comum
Qd morei no Cruzeiro tinha um terreno baldio que uma vez a prefeitura tirou foto limpando de manhã e outra foto a tarde no mesmo dia, e já estava cheio de lixo, um sr. Falou que a foto com lixo tinha sido tirada antes da limpeza, que a pessoa tinha agido de má fé, qd li isso tive que me meter, pq morei na rua do Cruzeiro, a coleta era feita todo dia pela manhã, o correto é deixar o seu lixo dentro de casa e colocá -lo pra fora na hora da coleta, como eles passavam 7h30 8h ou a pessoa acorda cedo pra colocar o seu lixo na rua ou deixa a noite antes de ir dormir, mas a maioria só colocava depois que a coleta na tinha passado, qd saia pra trabalhar estava sem lixo e qd eu voltava as 14h estava cheio de lixo, qd eu passava em frente ao tal terreno as 8h o caminhão na tinha recolhido o lixo ou estava lá recolhendo lixo e qd eu chegava as 14h já estava cheio de lixo novamente, eu vi isso, ninguém me contou e não estou fazendo média pq meu emprego não depende da aprovação do prefeito... aí falei exatamente isso pro Sr que dizia que a foto do lixo era falsa, ele então mudou o discurso dizendo que a culpa não era da população e sim da prefeitura pq tinha que educar as pessoas a não jogar lixo na rua, aí disse a ele que essas coisas aprendemos com nossos pais, a não jogar lixo na rua, a prefeitura não era Mãe e se cada um fizer a sua parte evitaria a sujeira e os gastos...
Gerenciar
Aristóteles B. Da S. Filho A câmara de vereadores tem que pedir explicação ao executivo, caso haja algo errado, denunciar ao ministério público.

Responder15 h