sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Teremos um novo G-5 na Câmara de Búzios?

Vereadores eleitos pela oposição em Búzios, foto RC24h


Eu até que gostaria. O povo, com certeza, sairia lucrando, pois teríamos um legislativo fiscalizando como deveria os atos do Prefeito- coisa nunca antes vista na cidade. Afinal, foi para isso que eles foram eleitos como vereadores e, principalmente, de oposição. Mas quem conhece os bastidores das relações Legislativo-Executivo em Búzios, e na Região dos Lagos ( e em todas as cidades do interior), sabe muito bem que isso não vai acontecer. Os nossos vereadores gostam mesmo é de Prefeito eleito. 

A justificativa da adesão de um certo vereador de oposição ao Prefeito Mirinho (2001-2004) merece constar da antologia política de Búzios. Valmir da Rasa assim se expressou sobre sua adesão ao governo Mirinho, após ter sido eleito pela oposição: 
- "O momento é de união. Bancos e empresas estão se unindo para dar certo. Por isso, não poderia deixar de me associar (a Mirinho) para concretizar o bem estar da Rasa" (Valmir, jornal Siri na Lata, março de 2001)  

Historicamente, nossos prefeitos, quando não faziam maioria na Câmara de Vereadores, não mediam esforços para cooptar alguns vereadores de oposição. Sempre conseguiram obter 6 votos, quantidade necessária para ter margem folgada, inclusive para fazer emendas à Lei Orgânica. Hoje, após a CPI do BO, além dos 6 votos, buscam 1 a mais, pois um requerimento de apenas 3 vereadores garante a instalação de CPI. É o caso do prefeito André. Elegeu dois vereadores (Zé Márcio e Genilson), mas conseguiu passar a maior parte de seu mandato com 7 vereadores na mão. Mesmo Genilson e Leandro que, próximo às eleições, passaram para a oposição, não coçaram o dedo pra dar a terceira assinatura necessária para a CPI das Licitações.   

Pelo exposto, não boto fé que os vereadores de "oposição" (Dida, Gladys, Nobre, Josué e Cacalho) consigam estruturar um novo G-5, como os que tivemos na gestão Toninho Branco (biênio 2007-2008) e na última gestão Mirinho (biênio 2011-2012). Não acredito nem mesmo que eles emplaquem como novo Presidente da Câmara de Vereadores para o biênio 2017-2018 um membro do grupo. Pelo menos enquanto permanecer como vereador de "oposição".

No momento que escrevo este post muita articulação deve estar rolando entre o grupo do prefeito e os vereadores de "oposição". Individualmente, claro. Por ora, para eleger o novo Presidente da Câmara, o Prefeito precisa de apenas 1 votinho. Para quem conhece a política buziana, sabe que não será muito difícil o prefeito obter êxito na empreitada.  

Portanto, não acredito na previsão feita por Renata Cristiane em seu portal de que Cacalho ou Josué será eleito, no dia 1º, presidente do legislativo buziano. Pode ser que o membro do G-5 cooptado pelo Prefeito seja recompensado com o cargo. Quem viver verá!

Observação:  A ação do grupo na Justiça contra a convocação dos 21 aprovados no último concurso da Câmara já mostra bem que as velhas práticas políticas não foram abolidas por eles. O clientelismo e o patrimonialismo ainda imperam.

A  posse dos vereadores eleitos está marcada para domingo 1º de janeiro, às 17:00h, no Plenário da Câmara.

Comentários no Facebook:

José Ricardo Até o prefeito fazer alguma proposta indecente.

Rubens Lopes No máximo um G-2.


Claudio A. Agualusa Só o tempo dirá! Aliás, pouco tempo... Torço por muito trabalho e vergonha na cara! Foram eleitos pra isso, defender a cidade e seu povo, não interesses escusos e pessoais!!! DEUS OS GUARDE PELO NOSSO BEM. ELES CINCO TEM
MAIS PODER QUE O PREFEITO!!! Ideal seriam seis e um sonho do IMPEACHMENT, como querem 70% da população, elementos já têm de sobra, ja que a lei anda lentamente!
DescurtirResponder111 h

Claudio A. Agualusa Uma historinha de esquina. E aí? Agora que é vereador, ficará na oposição ou vai pular? "Vou esperar pra ver como André fica e vou conversar, sabe como é né.... Pano rápido!!!


Satyro Edmilson kkkkkk É mais facil a galinha nascer .... "dentes"
DescurtirResponder112 hEditado
Renan Raposo O que era pra ser esperança de mudança, novidade é nada mais nada menos do que a velha política travestida em novas facetas. Aliás, nem tão novas assim. Um é assumidamente um assistencialista, só falta criar uma torcida organizada, a "loucos por um caixão". Outros dois são conduzidos, pra não dizer manipulados, por duas antigas e conhecidas cobras que já ocuparam uma cadeira no legislativo e sabem exatamente como fazer politicagem. Os outros dois, coitados, mais perdidos que cegos em tiroteio, não tem muitas opções, senão seguir o estouro da boiada. Alerto que minha tese possui respaldo científico. Pergunte aos 5 propositores quais são os reais motivos da ação pública que propuseram para revogar a convocação de 21 concursados no legislativo buziano. Se apenas três deles demonstrarem conhecimento pleno sobre a ação em questão, eu revogo todas as minhas afirmações. Por hora, vale o velho diatado: "a bosta é a mesma, só mudaram as moscas."
CurtirResponder9 h

Miguel Antonioli essa "oposição majoritária" não dura dois meses ou algumas portarias


Luiz Marques Tou torcendo por eles...
Porque os outros pra mim são como os zeros a esquerda
CurtirResponder13 h
Luiz Carlos Gomes Eu também. Que permaneçam na oposição.
CurtirResponder12 h

Francisco Natal nao acredito.


Francisco Natal nao acredito em papai noel.


José Ricardo Até o prefeito fazer alguma proposta indecente.
DescurtirResponder112 h