Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

domingo, 20 de janeiro de 2013

Autocríticas


REDES SOCIAIS E O PODER

“Chega a ser patética a forma como alguns seguidores de Mirinho Braga tem se manifestado na internet, Os órfãos do ex-prefeito, ora em perfis verdadeiros, ora em falsos, não poupam ataques a ninguém , mas não são capazes de lançar um olhar para si mesmos e enxergar onde erraram nos últimos quatro anos. Portam-se como se alguma força de fora tivesse chegado aqui e lhes arrancado a força do poder. Enquanto não identificarem em si mesmos a razão para o fracasso nas urnas, pastarão.”  (EduardoBorgerth, Coluna Observatório, JPH 20/01/2013).

Excelente análise, Eduardo! Gostei muito. Muito boa mesmo. Cai como uma luva nos seguidores de Mirinho. Nos Carlinhos, Alanzinhos, Ruyzinhos, Vitinhos, Camilinhas, etc. Claro que se tem que, necessariamente, fazer uma transição de uma posição à outra, através de uma autocrítica séria, senão fica-se pastando mesmo, como eles estão. Não fica bem criticar nos outros aquilo que não se critica em você mesmo, ou no governo que defendeu. É pura hipocrisia. Ou será aquela lógica que aceita que quem tá no Poder faça o que quiser, assim como aceita que os que estão de fora critiquem à vontade, aguardando a vez de voltar para fazer a mesma coisa. Não se precisa mudar nada, né?

Mas tem um detalhezinho. Não fica chateado não. Vou juntar também o teu nome à lista dos inhos lá de cima, porque também é patético ver você- também considerado por mim como mais um órfão do prefeito Mirinho- dizer no Editorial do JPH desta semana que o lixo de Mirinho era “ruim e caro”. Perdoe-me, Eduardo, mas você durante quatro anos nunca disse isso. Poderíamos ter economizado uma graninha. Nem uma palavrinha sobre a questão. Também não dá pra aceitar que o senhor reclame da publicação de atos oficiais da prefeitura em órgão de imprensa de outro município. Quando Mirinho publicava edital de licitação no Jornal O Povo, da baixada fluminense, o senhor ficava caladinho. Né? Mirinho, como Toninho, também era fantoche (“fraco e sem pulso”)? Fantoche de quem? Do Ruy? Porque não disse isso antes pra gente. É muito triste ter um prefeito fantoche. Imagina. Um banana nos governando. É isso?   Que tristeza!

Grave mesmo é ficar sabendo que “havia uma relação incestuosa entre os Poderes”. É mesmo Eduardo? Coisas incestuosas são sem-vergonhices graves. Você sabia e ficava calado. Não acredito Eduardo!  Quer dizer que nunca tivemos uma ‘justiça competente, imparcial e impessoal (que fosse) exercida por agentes públicos avessos a holofotes que se (portassem) com prudência e comedimento dentro, e fora do Fórum”. Você tá falando do Dr. João Carlos? Não acredito. Por que não falou nada pra gente antes. Quem lia o jornal achava o Doutor um excelente Juiz. Por que Eduardo?

Observação: os grifos acima são meus.

Comentários:

Já dizia um ditado árabe: " Deus me livre dos meus amigos, pois meus inimigos eu conheço muito bem ". Mirinho hoje deve estar entendendo este ditado ao pé da letra. Acabou a bajulação, puxação de saco e ...Ao que parece, o JPH esta sofrendo a falta de quem bajular, postar coisas mentirosas, tais como feitos " maravilhosos " da antiga gestão. Nadou, nadou e morreu na praia (Márcia Bispo)