Logo do blog

Logo do blog

publicidade5

publicidade5

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Resposta da prefeitável Claudia Carrilho à proposta de Gestão Compartilhada do blog

Claudia Carrilho, foto do Facebook

"Prezado Luis,


Gostaria de parabenizá-lo pela iniciativa em levantar a questão da Gestão Compartilhada em seu Blog..."O que Fazer?"

Sim...Pensar e propor a Gestão Compartilhada com o povo de Búzios.

No meu entender e no entender dos que apoiam a minha pré-candidatura, a matéria possui em seu conteúdo verdadeiras afirmações que deveriam ser consideradas e endossadas por quaisquer pré-candidatos que realmente tenham a intenção de, uma vez eleitos no pleito de 2016, implementá-las em sua administração.


Destaco o compromisso com a gestão compartilhada e o combate às terceirizações suspeitas de contratos pelo ente público, não somente como salutar, mas como ações administrativas dentre outras que venho defendendo dentro de meu plano de governo ora em gestação, nas discussões internas e em minhas declarações públicas através de entrevistas concedidas aos órgãos de comunicação ocorrida até antes do sua proposta.

Faço declarações, em entrevistas, sobre estes temas controversos e que entendo ser de interesse de poucos trazerem à tona.
  • Búzios News - entrevista 12/11/2015 página 7 – A politica é uma grande ferramenta se for usada com seriedade...
  • Jornal Pescador – entrevista 02/03/2016 página 8 - Sou pré-candidata...
  • Revista Lagos Edição 19- Ano 06 – entrevista páginas 14 e 16 – Pré-candidata fala sobre a necessidade de reestruturar a politica na cidade...
  • Búzios News – entrevista 22/04/2016 – O voo da águia
  • Radio RC24h em seu programa 15 – publicado em nossa página do Face book Fale com ELA.

Fico absolutamente tranquila em abordar a questão dos contratos terceirizados. Sempre questionei quanto ao excessivo uso das terceirizações, e o quanto os mesmos, “sangram” o orçamento municipal (algo que seria resolvido de maneira bastante eficaz através do orçamento participativo) e, consequentemente, o quanto um gestor que realmente objetivasse o zelo pelas questões públicas tenha empenho e responsabilidade para “fazer mais com menos”.

Se pararmos para refletir, o Orçamento Municipal para o ano fiscal de 2016 será de R$ 218.0 milhões. O Prefeito, a ser eleito, agora sem direito à reeleição, mas para um mandato, provavelmente, estendido por um período de 05 anos terá sob seu poder um total valor de recursos administráveis de aproximadamente R$ 1.1 bilhão.

Isto sem contar os possíveis recursos adicionais oriundos do Governo Federal e de emendas parlamentares que existem para projetos que façam sentido e que fui buscar para atender a algumas necessidades da minha pasta enquanto Secretaria de Desenvolvimento Social Trabalho e Renda.

Justificam a diminuição dos recursos, devido à situação econômica do País, inclusive dos royalties (que, aliás, muitas vezes é utilizado de forma irresponsável, fora das atribuições originalmente previstas), mas acredito que recursos para o nosso Município atender às suas demandas possuímos suficiente, trata-se apenas de eliminarmos os ralos existentes e prezar por uma administração consciente e transparente.

Gestão compartilhada para mim é algo que não se trata de uma opção e sim de uma obrigação de qualquer governante que deseje cumprir seu mandato com transparência e prover seus munícipes com o atendimento de suas necessidades mais básicas e que para tal nada mais justo e democrático discutir o que fazer com o orçamento existente junto à comunidade, utilizar e prestar contas logo após.

Na verdade, durante o meu período como Secretária de Desenvolvimento Social, Trabalho e Renda do Município dei inicio a esta prática salutar com a criação de alguns Conselhos Municipais, da Mulher, do Idoso, da Igualdade Racial e do Deficiente Físico entre outros. Conselhos são direitos adquiridos pela população é a forma de ouvirmos a voz da Sociedade Civil, do POVO, um conselho ativo representa mecanismo de transparência.

Tudo que seu blog aborda e aqui esta sendo discutido, é fundamental, faz parte das minhas preocupações que catalisaram a decisão em lançar minha pré-candidatura e consequentemente carregam o meu apoio, mas não é tudo, tem muito mais.

Candidatura que realmente objetive a sanar os problemas crescentes que o Município vem enfrentando não poderá deixar de atacar alguns de seus grandes algozes dentre os quais se destacam o caos na mobilidade urbana, desenvolvimento econômico, social, a segurança pública, e as mazelas decorrentes da falta de saneamento básico, esta com enormes repercussões na saúde pública.


Agradeço a oportunidade de participação!"