Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

domingo, 17 de maio de 2015

Mapa da Violência 2015: Cabo Frio é a cidade mais violenta do Rio de Janeiro

Capa do estudo MAPA da VIOLÊNCIA 2015


“E foi morrida essa morte,
 irmãos das almas,
  essa foi morte morrida ou foi matada? 
Até que não foi morrida, 
 irmão das almas,
esta foi morte matada, 
numa emboscada.”
(Morte e Vida Severina João Cabral de Melo Neto)


Saiu na quinta-feira passada (14) a edição 2015 do Mapa de Violência do Brasil contendo dados do SIM (Sistema de Informações sobre Mortalidade) do DATASUS referentes aos anos de 2010, 2011 e 2012. Neste último ano, 42.416 pessoas morreram vítimas de armas de fogo, o que representa 116 mortes a cada dia do ano.

Os realizadores do estudo ressaltam que vivemos uma epidemia de violência:
-"Número bem maior do que é noticiado em nossa imprensa sobre grandes chacinas acontecidas no país ou sobre os terríveis atentados nos frequentes enfrentamentos existentes na Palestina ou no Iraque. Esse número de mortes é, por exemplo, ainda maior que o massacre de Carandiru de 22 de outubro de 1992, fato de grande repercussão nacional e internacional. Com as mortes por arma de fogo temos pouco mais de um Carandiru por dia, sem todo esse impacto emocional, seja nacional, seja internacional. Pelo contrário, discute-se hoje se ampliar ainda mais a posse e circulação das armas de fogo".

E prosseguem:
-"O Brasil, sem conflitos religiosos ou étnicos, de cor ou de raça, sem disputas territoriais ou de fronteiras, sem guerra civil ou enfrentamentos políticos levados ao plano das armas, consegue vitimar mais cidadãos via armas de fogo do que muitos dos conflitos contemporâneos, como a guerra da Chechênia, a do Golfo, as várias Intifadas, as guerrilhas colombianas ou a guerra de liberação de Angola e Moçambique, ou ainda uma longa série de conflitos armados acontecidos já no presente século e que tivemos oportunidade de expor em mapas anteriores".

Considerando a estimativa da população brasileira desse ano feita pelo IBGE obtém-se a taxa de 21,9 óbitos por 100 habitantes. Desses 42.416 óbitos, 24.882 (59%) foram de jovens entre 15 e 29 anos. O que resulta em uma taxa de mortalidade mais do que o dobro da taxa geral nacional: 47,6 por 100 mil habitantes. Também é necessário que se diga que os mortos têm cor: 28.946 deles são da cor negra. Apenas 10.632 são brancos.

A respeito da vitimização dos jovens, os autores do estudo registram:
-"Considerando que no ano de 2012 aconteceram 75.553 óbitos de jovens ao todo e por todas as causas e que 24.882 dessas mortes foram por arma de fogo, temos que, nesse ano, 33% dos óbitos juvenis tiveram sua origem nas balas. Colocado de outra forma: uma em cada três mortes juvenis deve ser creditada na conta das armas de fogo. As armas de fogo constituem, de longe, a principal causa de mortalidade da juventude brasileira, bem distante da segunda causa: os acidentes de transporte, que representam 20,3% da mortalidade juvenil. O vírus da imunodeficiência humana HIV, responsável pela AIDS, matou, em 2012, 12.073 pessoas de todas as idades. São números e situações compreensivelmente preocupantes, que já deram origem a grandes campanhas, programas, estruturas".

Utilizando-se de dados do Sistema de Informações da OMS (Organização Mundial de Saúde) os autores do Mapa analisaram 90 países. Com a taxa atual de 21,9 mortes por arma de fogo, o Brasil ficou em 11º lugar. Em primeiro temos a Venezuela com taxa de 55,4. Países como Hong Kong, Japão, Marrocos e Coreia tem taxa inferior a 1,0. Em 2011, ocorreram apenas 11 homicídios no Japão com uso de arma de fogo.  

O estado mais violento do Brasil é Alagoas com 55 óbitos/100 mil hab. E o menos violento Roraima com taxa 7,5. Nosso estado, o Rio de Janeiro, tem taxa um pouco superior à do Brasil: 22,1.

Entre as capitais a mais violenta é Maceió com taxa 79,9. Boa Vista, a menor, com 7,1. O município do Rio de Janeiro tem taxa inferior à do estado: 16,7%.

Quanto aos municípios os autores do estudo ressalvam que :
-"Quando se desagregam os dados para os municípios do país, os indicadores podem apresentar fortes oscilações de um ano para outro, principalmente nos municípios de menor porte. Para dar estabilidade a nosso indicador municipal, optou-se por trabalhar com a média de óbitos por AF dos últimos três anos disponíveis: 2010, 2011 e 2012. Dessa forma, a taxa foi calculada relacionando a média de óbitos por AF, 2010-2012, com a média das estimativas de população do município para esses mesmos anos".

-"Tal como aconteceu quando analisamos homicídios em mapas anteriores, a desagregação por município evidencia a existência de diferentes e/ou novas configurações de focos de violência, além dos já tradicionais, centrados nas capitais e regiões metropolitanas". São apontados como focos de violência: Novos Polos de Crescimento no Interior dos Estados,  Municípios de Fronteira, Municípios do Arco do Desmatamento Amazônico,  Municípios de Violência Tradicional e aquele que nos diz respeito, os Municípios de Turismo Predatório. Aqueles que estão "localizados, principalmente, na orla marítima que atrai um turismo flutuante de finais de semana altamente predatório".

O município mais violento do Brasil é Simões Filho (BA) com taxa de 130,1 óbitos por 100 mil habitantes. E o município mais violento do estado do Rio de Janeiro no Mapa da Violência 2015 é Cabo Frio com taxa 46,4, mais do que o dobro da taxa estadual. No ranking nacional ficou na 88ª colocação. Foram 82 homicídios por arma de fogo em 2010, 83 em 2011 e 105 em 2012. E 99 em 2013, segundo os últimos dados do SIM do DATASUS, ainda não usados no MAPA. O que significa dizer que o município deve permanecer nas primeiras colocações no próximo ano.

No estado, Cabo Frio é seguido por Paraty (taxa: 43,9). E em terceiro, Nova Iguaçu (43,1).

Na Região dos Lagos, Armação dos Búzios aparece no MAPA como a segunda cidade mais violenta. Homicídios em Búzios: 11 em 2010; 10 em 2011; e 14 em 2012. Com taxa de 40,3, é a quarta do estado e a 134ª do Brasil. Mas no ano que vem deve deixar as primeira colocações porque o número de homicídios que foi de 14 em 2012, caiu para 8 em 2013.  Em terceiro, São Pedro da Aldeia, com 21, 33 e 30 homicídios respectivamente em 2010, 2011 e 2012, resultando em uma taxa de 31,3. Em quarto, Araruama, com taxa 30,4. Em quinto, Rio das ostras, 26,1. Em sexto, Iguaba Grande, 19,4. Em último lugar, o município menos violento da Região dos Lagos: Arraial do Cabo, taxa 13,0, bem abaixo da taxa nacional e estadual.

Fonte: http://mapadaviolencia.org.br/