Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Festival de Besteiras que Assolam a Região dos Lagos (FEBEARELA) - 1

Livia de Chiquinho, foto Facebook
A prefeita de Araruama, Lívia de Chiquinho, fez uma postagem, no Facebook, no dia 2 passado, desautorizando os secretários e funcionários do município - num tom de quem-manda-aqui-sou-eu - depois que a técnica de enfermagem Danielle Januária foi demitida sem a sua permissão.
"Quero comunicar a população araruamense e, em especial, a comunidade de Itatiquara que tomei conhecimento hoje da troca da técnica de enfermagem Danielle Januária do posto de saúde, já ordenei seu retorno ao posto de trabalho, e deixo a certeza que Araruama tem prefeita, não tem secretária(o) nem encarregado (a) e muito menos diretor, quem dá as ordens é a prefeita!!! Ninguém vai perseguir um funcionário público no meu governo!!!", escreveu Lívia
Provocador, um internauta perguntou se a postagem era, na verdade, do marido de Lívia, Francisco Ribeiro, o Chiquinho. O ex-prefeito teve a candidatura impugnada nas eleições do ano passado e a mulher teve que concorrer no seu lugar.
Vejam abaixo o diálogo civilizado travado no Facebook entre o internauta, a Prefeita Lívia de Chiquinho e seu marido Chiquinho, o primeiro-cavalheiro de Araruama. 
extraído do jornal Extra
Fonte: "extra" 
Comentários no Facebook:
Stela Sobreira Que baixaria! !! Essa é a capacidade de comunicação da "mulher que pertence ao fulano? " Que lástima!
Milton Da Silva Pinheiro Filho Coronelismo à vista.
CurtirResponder22 h
Sergio Murad Quem escreveu foi a Prefeita que ocupa o cargo oficialmente,não imporá se o marido opinou ou não ;o que importa é que em Araruama quem manda é ela a Prefeita que já disse em bom tom ao contrário de outros Prefeitos que se deixou ser refém de grupos político.Parabéns Prefeita
CurtirResponder10 hEditado
Luiz Carlos Gomes A discussão não é essa meu amigo Murad. É a forma agressiva como agentes públicos tratam as críticas que recebem. Um deles, nem agente público é mais, mas deve se achar o primeiro cavalheiro da cidade.