Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

terça-feira, 17 de março de 2015

Polícia Federal na Região dos Lagos

"A Polícia Federal realiza, na manhã desta terça-feira (17), uma operação no Rio de Janeiro, em São Paulo e Minas Gerais contra uma organização criminosa suspeita de fraudar financiamentos imobiliários. Os prejuízos são estimados em R$ 100 milhões.

A fraude ocorria em três agências da Caixa Econômica Federal e tinha como principais alvos imóveis na Região dos Lagos, no estado fluminense.

Em média, cada apartamento ou casa tinha sobrevalorização de 1.000% em relação ao real valor de mercado, segundo a Polícia Federal. Ainda de acordo com a investigação, os membros da quadrilha contavam com o auxílio de funcionários da Caixa, inclusive gerentes regionais.

Aceitando documentos falsos, eles facilitavam o recebimento de contratos de até R$ 1 milhão.  Enquanto o processo de financiamento costuma levar mais de um mês, nas agências suspeitas a liberação de recursos demorava apenas quatro dias.

Ao todo, 133 policiais federais cumprem 34 mandados de condução coercitiva, 10 afastamentos de empregados públicos, sequestro de 20 veículos, 31 mandados de busca e apreensão, além de bloqueios de contas correntes.
Os suspeitos podem responder por associação criminosa, falsificação de selo ou sinais públicos, falsificação de documentos públicos, estelionato, peculato, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de capitais.


(Reuters) - "A Polícia Federal lançou uma operação nesta terça-feira (17) para desarticular uma quadrilha suspeita de fraudar financiamentos imobiliários da Caixa Econômica Federal, provocando prejuízo estimado em R$ 100 milhões.


A operação da PF, com participação de 133 agentes federais, tem como objetivo cumprir 34 mandados de condução coercitiva e 31 mandados de busca e apreensão nos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Além disso, há 10 pedidos de afastamento de empregados públicos e bloqueios de contas correntes.

"Os membros da organização, com a ajuda de empregados da própria Caixa, inclusive gerentes regionais, facilitavam o recebimento de valores de contratos de até R$ 1 milhão, aceitando documentos falsos e liberando os valores sem as devidas garantias", disse a PF em nota oficial sobre a operação, intitulada Dolos.

Segundo a polícia, a maior parte dos imóveis utilizados no esquema de fraude estaria na Região dos Lagos fluminense, alguns dos quais receberam sobrevalorização de 1.000% do valor de mercado. Também há contratos de imóveis que nem existem.

Os investigados serão indiciados, de acordo com suas participações, por associação criminosa, falsificação de selo ou sinais públicos, falsificação de documentos públicos, estelionato, peculato, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de capitais, informou a PF.
(Texto de Pedro Fonseca)



O blog Redação Final Búzios noticiou que a Policia Federal amanheceu nesta terça-feira na Rasa:

"A manhã desta terça feira para os moradores da Rasa foi surpreendente: Carros da Policia Federal e policiais fortemente armados, chegaram ao bairro para cumprir um mandado de prisão.
Segundo moradores, os policias se dirigiram para a casa do ex-vereador Marquinhos da Farmácia".

Fonte: http://redacaofinalbuzios.blogspot.com.br/2015/03/policia-federal-amanhece-na-rasa.html

Ás 12:25 recebi a informação de que os policiais não estiveram na casa do ex-vereador Marquinho da Farmácia. E que ele, inclusive, está em Búzios.

O blogueiro Rafael Peçanha acaba de publicar: 

"Polícia Federal faz operação em Cabo Frio hoje.
A Polícia Federal está em Cabo Frio hoje realizando uma grande operação. Há quem diga que, entre os alvos, estão políticos famosos, com cargos e mandatos importantes. Mandados de prisão já teriam, inclusive, sido expedidos contra figurões locais. Será? Já tem gente indo passear em outras cidades e com perspectivas de nunca mais voltar...que coisa". 


"A Polícia Federal prendeu na manhã desta terça-feira o operador do esquema responsável por fraudar o financiamento de mais 100 imóveis no RJ durante os anos de 2012 e 2013 com a ajuda de funcionários públicos, inclusive da Caixa econômica federal. O suspeito não foi identificado, mas durante mandado de busca e apreensão foi encontrada uma arma sem identificação em sua residência" (G1).


Fonte: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2015/03/operador-de-grupo-que-fraudava-financiamento-e-preso-no-rj.html


"Um dos envolvidos na fraude demonstrou-se disposto a colaborar com as investigações sob o esquema de delação premiada".