Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

terça-feira, 28 de outubro de 2014

O que a medalha oculta

A medalha JBRDantas concedida ao senhor Ruy Borba é um reconhecimento, por parte de alguns vereadores,  à sua atuação no processo de eleição da última Mesa Diretora da Câmara de Vereadores. Para quem não sabe, o referido senhor, logo após as eleições municipais, em outubro de 2012, usou o seu ex-jornal JPH para articular um nome alternativo ao do vereador Henrique Gomes- candidato do ex-prefeito Mirinho Braga. Nessa ocasião, o jornal já falava no nome de Leandro como cotado para o cargo.

Depois da derrota em Búzios e da definição, pela Justiça Eleitoral, da posse de Alair Corrêa em Cabo Frio, afastando definitivamente a possibilidade de Jânio Mendes assumir, eleger o vereador Henrique Gomes presidente da Câmara seria a última tábua de salvação para o grupo político de Mirinho. O JPH, em sua coluna Observatório, talvez exagerando, noticiava que Mirinho pretendia “acomodar cerca de 80 nomes da cúpula do antigo governo nos quadros do Legislativo, sob a presidência de Henrique” (Observatório, JPH, 5/1/2013).

Não haveria problema para Mirinho eleger o novo presidente do Legislativo pois seu grupo político fez 7 dos 9 vereadores.  Mas a imposição do nome do vereador Henrique Gomes como seu candidato pôs tudo a perder. Mirinho precisava de um nome de sua inteira confiança na Casa Legislativa porque, por determinação judicial, suas contas de gestão de 2004 precisavam ser rediscutidas e apreciadas novamente pela Câmara de Vereadores. Como controla o seu partido com mão de ferro, não teve dificuldades de, em meados de dezembro , fazer a  Comissão Executiva do PDT (9 membros) aprovar o nome de Henrique, do PP,  como candidato do PDT à presidência da Câmara de Vereadores para o biênio 2013-2014.

Derrotado no próprio partido com a imposição do nome de Henrique Gomes, Felipe sentiu-se usado e abandonado por Mirinho. Passa então a apoiar o nome de Leandro-  candidato da pequena especulação imobiliária da península de Búzios (casas geminadas, pombais)- como forma de dar o troco em Mirinho.

“Mirinho só foi candidato porque o preservamos de uma ação política com vistas à rejeição de suas contas na gestão de 2004. Como medida postergatória nos ausentamos de dezenas de sessões, e como consequência acabamos sendo expostos até em mídia nacional”. Tudo para “garantir a participação de Mirinho no pleito” (Felipe, JPH, 5/1/2013).

Felipe ficou livre para agir. Nem mesmo de infidelidade partidária ele poderia ser acusado. “Se houve infidelidade de alguma parte, esta partiu de maneira acintosa da direção do próprio diretório municipal do meu partido, que ao invés de apoiar minha candidatura para presidir o Poder Legislativo optou por um nome de fora de nossas fileiras” (Felipe, JPH, 5/1/2013).

Segundo o jornal O Peru Molhado, acordos sobre a concessão de “remanejamento de 50% do orçamento para o Prefeito e a inclusão de 8 milhões de reais de emendas parlamentares no orçamento de 2013” atraíram os votos dos vereadores governistas (Genilson e Zé Márcio). Faltava ainda um voto, o voto do companheiro de partido Lorram. 

A eleição para a presidência da Câmara provocou uma verdadeira agitação na Península. Se não bastasse a atuação do senhor Ruy Borba em apoio ao seu candidato Leandro, outro personagem também devidamente "medalhado" e "titulado" pelos vereadores entra em cena durante o processo eleitoral: o desconhecido Nelson Belotti. Este, em apoio ao candidato de Mirinho, Henrique Gomes.

De acordo com o jornal Primeira Hora, Belotti, chamado erroneamente de Antônio, “figurinha nova na Cidade”, esteve na diplomação dos eleitos no Fórum de Búzios (dia 14/12). É considerado o “novo carne fresca” do mercado; aquele ao qual convergem todos os que necessitam de algum tipo de ajudinha nestes tempos bicudos. Circuito já trilhado por outros, como Modiano e Borba. “Depois de ser sangrado até os ossos, a Cidade, e aqueles que mais lhes sugarem preciosos recursos, irão cuspi-lo como fizeram anteriormente, com outros abonados que por aqui aportaram. Até lá muitos, representantes da imprensa inclusive, sugarão suas tetas e lhes dirão coisas lindas, só para tirar-lhe um pouco mais” (Observatório, JPH, 21/12/2012).

Mesmo com um colégio eleitoral tão minúsculo, 9 vereadores, a eleição da Mesa Diretora agitou a península, atraindo a atenção de dois milionários, Ruy Borba e Nelson Belotti, e de dois órgãos da imprensa buziana, o jornal Primeira Hora e O Perú Molhado. Como em toda campanha eleitoral, não faltaram "ironias" de ambos os lados:

“Quarenta panetones estão sendo entregues a alguns vereadores para serem degustados durante a votação” (OPM, 22/12/2012).

A mudança do voto de determinado vereador não teria sido “efeito dos 40 panetones embelotados que circularam na Cidade?”. (Observatório, JPH, 5/01/2013).


Conclusão: o povo buziano deve ficar muitíssimo atento à eleição da nova Mesa Diretora para o biênio 2015/2016. Setores organizados da sociedade civil devem se posicionar contra o loteamento político da Cidade por parte da especulação imobiliária. Afinal, por que será que depois de 2 anos do novo governo- que se declara a favor da sua criação- não se cria a Unidade de Conservação do Mangue de Pedra? Tudo indica que entre a preservação ambiental e a governabilidade, o governo prefere esta última.