Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Professores comentam a resposta do ex-secretário de Educação Claúdio Mendonça sobre o IDEB de Búzios

"O ex-secretário de educação de Búzios fez resposta (ver "Direito de resposta do ex-secretario de Educação de Búzios Cláudio Mendonça")  à postagem no Blog Iniciativa Popular do Prof Luiz Carlos Gomes.

Pois bem, queria dizer apenas que esse ex-secretário (também ex-secretário no governo Rosinha Garotinho) implementou em Búzios a mesma política do estado. É por isso que o governo do estado do Rio saiu do penúltimo lugar para o 4º ou 5º lugar no IDEB.

Se ele está feliz por isso, eu não estou.

Quem conhece de perto o que fizeram com a rede estadual, jamais comemoraria estar seguindo os passos desse modelo educacional.

Eu NÃO quero para meus alunos e alunas de Búzios (de Cabo Frio, de Arraial, de São Pedro... de Iguaba... de ...de....) o mesmo destino que a Rede Estadual (5º lugar no IDEB - algo a comemorar?) teve... ACREDITEM esses números em NADA representam os mais de 500 pedidos de exoneração semanal da REDE ESTADUAL..." (Professora Denise Alvarenga).


#entendedoresentenderão

Comentários no Facebook:

2 compartilhamentos
Guilherme Barcellos, Carlos Muniz, Katia Agura e outras 21 pessoas curtiram isso.
           
Jane Gracinha Na verdade obrigaram os prof.A dar nota até p uem não sabe ler.

           
Denize Alvarenga Azevedo Pois é... métodos de elevação de IDEB...
            
Cintia Pereira Há um novo dilema na educação de Búzios: a implantação do ciclo de alfabetização. O que nos chegou através da equipe técnica é que a retenção de alunos de 1º, 2º e 3º anos deverá ser mínima este ano e que é preciso "ter um novo olhar para aqueles alunos que não atingiram os objetivos".
            
Gabriela Oliveira Trocando em miúdos... Pura maquiagem! Bem a cara deles!


Meu comentário:

Aproveitando a boa vontade do ex-secretário em justificar sua atuação em Búzios, peço que ele esclareça as cinco licitações ocorridas em 2013 em sua pasta (aquisição de merenda, uniformes, móveis escolares, material de papelaria e fraldas descartáveis para as creches) apontadas pela CPI do BO como fraudulentas por terem sido realizadas sem a devida publicação do Edital de Licitação.