Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

terça-feira, 9 de setembro de 2014

FRAUDES NO SINDICATO DOS COMERCIÁRIOS DE NITERÓI

Policiais cumprem mandados de busca e apreensão em sindicato
Osvaldo Prado/Agência O Dia


"Na manhã de ontem a Delegacia Fazendária da Polícia Civil realizou a operação Sindicato do Crime, que teve objetivo de cumprir 10 mandados de busca e apreensão de documentos no Sindicato dos Empregados no Comércio de Niterói e São Gonçalo (Itaboraí, Tanguá, Maricá, Rio Bonito e Saquarema), no Centro de Niterói. Uma das salas teve que ser arrombada e no local foram encontrados e recolhidos diversos documentos que vão ajudar nas investigações, além de computadores.

As investigações, que começaram em 2013, tiveram início após denúncia de dois crimes, cárcere privado e homicídio, que aconteceu em uma fazenda da presidente do sindicato, Rita de Cácia da Silva Rodrigues de Almeida, em Barra do Piraí, interior do estado. Dois homens foram achados mortos no local, que pertencia ao ex-marido de Rita, Eládio Gonzales Vasques.

A partir daí foram descobertos muitos imóveis e carros de luxo no nome da mulher e a Polícia Civil iniciou outra investigação. Rita foi indiciada por diversos crimes como apropriação indébita, formação de quadrilha, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.

A sede do sindicato, localizado na Travessa Cadete Xavier Leal, 11/13, na Praça do Comerciário, no Centro de Niterói, foi o primeiro ponto percorrido na operação. Na sala, que teve que ser arrombada, os funcionários não podiam entrar.

Em entrevista a um telejornal, a delegada responsável pelo caso, Tatiana Queiroz, explicou um dos crimes que Rita cometeu. “Existe sempre um acordo entre os comerciantes e o sindicato dos empregados. Eles pagam uma taxa a cada acordo que fazem para os empregados trabalharem naquelas datas específicas. Ela pegava e se apropriava de parte dessas taxas e aplicava no patrimônio próprio, aplicava no patrimônio dela”, explicou.

De acordo com informações da polícia ela estaria fazendo um tratamento contra o câncer em Dubai. Entre os bens adquiridos se destacam oito veículos de luxo (Porsche, BMW X6, Dodge Ram 2500, Toyota Corolla, Honda CRV, Hundai IX35 e duas Range Rover Evoque), uma casa em Cabo Frio avaliada em R$ 1 milhão, uma fazenda em Rio das Flores avaliada em R$ 750 mil, Haras JBS estimado em R$ 850 mil, uma Fazenda São Paulo com valor estimado em R$ 5 milhões além de apartamentos e casas na Região dos Lagos. O bloqueio desses bens já foi pedido pela justiça. Toda essa renda seria das taxas que os comerciantes pagavam para o sindicato e a investigação desse caso vai apontar se Rita usava familiares e funcionários como ‘laranja’, para o desvio do dinheiro, por exemplo. O filho da suspeita, Chriszanto Rodrigues, também tem um cargo importante da entidade, vice presidente. O salário beira os R$ 25 mil e a frequência de visita do diretor no sindicato, é de apenas uma vez por mês.

Em nota a Policia Civil informou que o valor da taxa é estipulado em assembleia pela categoria, que efetua o pagamento no próprio sindicato, em espécie ou cheque nominal. O sindicato lançava um valor menor de acordos, sendo que a diferença era desviada para Rita de Cácia. A delegada ainda informou que Rita agia desde que entrou no sindicato em 2010 e movia entre R$ 500 mil e R$ 1 milhão por mês. Todos os integrantes responderão por formação de quadrilha ou bando, lavagem de dinheiro, apropriação indébita e sonegação fiscal, podendo pegar mais de 20 anos de prisão. “O próximo passo da operação é pedir o sequestro dos bens comprados com esses recursos, para evitar que sejam desfeitos. Entre os bens tem fazendas, casas, apartamentos, haras, e veículos importados como Toyota -Corolla Altis, BMW X6 Xdrive 351, Range Rover Evoque Pure P5d, entre outros”, comentou a delegada".

Raquel Morais