Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

"Contas de prefeito não se rejeitam" (Alair Corrêa)

Foto do blog do beto

O coordenador de estatísticas do governo Alair Corrêa, Alex Corrêa, do blog Cartão Vermelho, denunciou em seu blog que cada vereador de Cabo Frio receberia de 200 a 300 mil reais para aprovar as contas de 2012 do ex-prefeito Marquinhos Mendes que, por unanimidade,  obteve parecer prévio contrário do TCE-RJ (ver  "cartaovermelhotv").

Meu amigo  blogueiro professor Chicão repercutiu a denúncia de Alex, afirmando:

-" É gravíssima a acusação que Alex Garcia faz a Marquinho em seu blog. Ele acusa o ex prefeito de oferecer de 200 a 300 mil a cada vereador para aprovar suas contas de 2012, que foram rejeitadas pelo TCE por unanimidade".  E aproveita para cobrar do MP uma investigação:

"O MP vai investigar ou será mais uma denúncia que vai fingir que não vai ver ?"  (ver "josefranciscoartigos")

Desconfiado, o melhor blogueiro da Região dos Lagos, acrescenta:

-" A situação de Marquinho é complicada porque ele tem que ter 11 vereadores a favor da aprovação de suas contas. Ele terá que cooptar gente do grupo de Alair. Se conseguir, saberemos que houve um acordo entre ele e o atual prefeito"  (ver: "josefranciscoartigos").

Mais realista que o Rei, Alex chega a afirmar que: 

"Algumas pessoas ligadas a Marcos Mendes (PMDB) garantem que o ex-prefeito fará o que for necessário para se livrar dessa situação que o torna inelegível por longos 8 anos, inclusive o ex-prefeito pode vir a ameaçar ao atual Prefeito Alair Corrêa (PP) caso os vereadores governistas confirmem a condenação do TCE-RJ. Iremos acompanhar de perto esse caso, e quais vereadores irão votar contra a condenação do TCE-RJ da contas de 2012 de Marcos Mendes".

Foi quando me lembrei de uma entrevista concedida por Alair Correa ao programa "PH no ar", da rádio 1530, programa do qual participei, em que ouvi estarrecido o então deputado estadual Alair Corrêa afirmar que "contas de prefeito não se rejeitam". Vejam a matéria publicada no JPH de 5/5/2007:

 No programa "PH no AR", do dia 04 de maio de 2007, o atual prefeito Alair Corrêa, na ocasião deputado estadual, fez a afirmação acima. Ele se referia às contas de 2004 do ex-prefeito Mirinho Braga reprovadas pelo TCE e Câmara de Vereadores de Búzios. Segundo ele, Toninho Branco, quando prefeito, "pessoalmente comandou uma campanha contra o ex-prefeito Mirinho Braga, um homem de bem, sério, pressionando a Câmara e os vereadores , para rejeitarem as suas contas... Foi maldade...".

Alair acrescentou que até mesmo as contas de seu adversário político, ex-prefeito José Bonifácio, quando na mesma situação, "recomendou que elas fossem aprovadas , embora tivessem um parecer contrário do TCE, e assim aconteceu."

Perguntado se discutiria com seu grupo político de Búzios sobre as contas do prefeito Toninho Branco, que foram rejeitadas pelo corpo instrutivo do TCE, e com ressalvas pelos conselheiros, foi afirmativo: 

-"Contas de prefeito não se rejeitam".
  
"Erros são comuns . Eu mesmo tive contas contestadas, e pude me defender perante o TCE, para apresentar explicações. Essas maldades que ele (Toninho) fez acabam revertendo e se voltando contra ele mesmo". 

Claro, Alair Corrêa sabe muito bem que ele é o Marquinhos Mendes de amanhã!!!

É por isso que não acreditei, no início do governo Alair, em auditoria nenhuma nas contas do ex-prefeito Marquinhos Mendes. Por falar nisso, no que deu a auditoria? 

Ver: "ipbuzios"

Comentários no Facebook:


Manoel Eduardo da Silva "O fato de haver a Câmara Municipal aprovado as contas do prefeito não impede, por si só, a propositura da ação penal relativa aos crimes de responsabilidade definidos no Decreto-Lei n. 201/67, os quais estão sujeitos ao julgamento do Poder Judiciário, independentemente de pronunciamento da edilidade municipal" (STF, RHC n. 49204, j. 26/10/1971, Rel. Moacyr Amaral Santos).

Observação:

Participe da Enquete da CPI dos Bos respondendo ao questionário do quadro situado no canto superior direito do blog.
Grato.