Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Alair mudou?



Alair Corrêa, 2013, foto blog do professor Chicão

 Perguntado pelo blogueiro Chicão como sua bancada na Câmara está orientada para votar no caso das contas de Marquinho, Alair Corrêa respondeu:

"Eu havia orientado os nossos vereadores para votarem a favor das contas de 2009, 2010 e 2011 acompanhando o parecer do Tribunal de Contas, embora as mesmas tenham sido aprovadas pelo TCE com ressalvas. Só que agora as contas de 2012, diferentemente das outras, chegaram à Câmara com o parecer contrário aprovado pela unanimidade dos conselheiros, o que me tira qualquer direito de pedir a qualquer vereador, mesmo os da minha família, para votarem dessa ou daquela maneira nessas contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado".



Alair mudou ou está fazendo jogo de cena para acalmar os companheiros mais exaltados que querem ver Marquinhos Mendes sangrar na Câmara? Vejam a entrevista completa concedida ao jornal PH em 5/5/2007. Nela, ele cita que aliviou o ex-prefeito José Bonifácio que, à época, estava na mesma situação atual de Marquinhos, com parecer prévio contrário do TCE-RJ em relação às suas contas de gestão.

Reparem que candidamente Alair admite o uso da máquina pública da Saúde de Cabo Frio para beneficiar Toninho Branco em Búzios. Além disso, ainda arrumara um empreguinho público pra ele. Toninho Branco "trabalhava" em Cabo Frio mas passava o dia todo em Búzios. Alair admite que não só Toninho, mas também um parente,"recebiam dos cofres públicos" de Cabo Frio. Recebiam e trabalhavam, ou só recebiam, prefeito? Não é meigo, mestre Chicão?

Alair concede entrevista a Ruy Borba, no PH no Ar, foto JPH, 5/5/2007


“Um grupo do mal que fez do prefeito refém”

O deputado Alair Corrêa atribui a um grupo, que o tomou de assalto, desviando o prefeito de Búzios, do bem, e dos bons propósitos.
- Existe um estrangeiro sem pátria, que se apresenta como empresário, mas não aponta a porta do seu estabelecimento comercial, que é as pernas do prefeito. Seu nome: Nani Mancini, que vai a rádios denegrir a imagem de vereadores, que não se curvam diante de seus caprichos - falou Alair Corrêa, referindo-se a uma locução radiofônica em que o empresário fizera assacadilhas contra os vereadores Genilson Drumond, e especialmente Flávio Machado. Junto com Nani Mancini, o entrevistado relacionou o secretário de Obras, Salviano Leite.
- Ele, prefeito, deve dizer porque obedece cegamente as ordens do Nani, e exibir o seu contra-cheque, e assim todos saberem de que vive esse cidadão, cujas fontes de
renda se desconhece.
Sabendo que perderia, fez uma maldade contra Mirinho
Na época das contas do ex-prefeito, que foram rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado - TCE, ele pessoalmente comandou uma campanha contra o ex-prefeito Mirinho Braga, um homem de bem, sério, pressionando a Câmara e os vereadores, para rejeitarem as suas contas. Ora, todos sabem que a TCE não é a última instância. É a Câmara, que faz também um julgamento político. Foi maldade, e medo de perder nas eleições, porque sabia do seu mau desempenho - disse Alair Corrêa, acrescentando que até mesmo as contas de seu adversário político, ex-prefeito José Bonifácio, quando na mesma situação, ‘recomendou que elas fossem aprovadas, embora tivessem um parecer contrário
do TCE, e assim aconteceu.
Perguntado se discutiria com o seu grupo político de Búzios sobre as contas do prefeito Toninho Branco, que foram rejeitadas pelo corpo instrutivo do TCE, e com ressalvas pelos Conselho, foi afirmativo: - Contas de prefeito não se rejeitam. O que o Toninho fez foi uma aberração, levado pelo medo e pelo ressentimento. Erros são comuns. Eu mesmo tive contas contestadas, e pude me defender perante o TCE, para apresentar explicações. Essas maldades que ele fez acabam revertendo e se voltando contra ele mesmo - concluiu Alair Corrêa.
3ª via, grupo político e contra-cheque do Toninho em Cabo Frio
O ex-prefeito afirmou que não é candidato à Prefeitura de Búzios, mas que participa de um grupo político na Cidade.
- Sempre estivemos presentes em Búzios. Tive uma enorme votação para deputado estadual aqui, apesar da máquina do governo trabalhar a favor da candidatura de Paulo Melo. Este mesmo grupo já fez a Direção da Câmara de Vereadores e por isso vamos agir em bloco. Existem nomes, como o Raminson, como a Maria Alice, o Mirinho Braga, e o próprio Toninho, se ele se redimir, colocando essa gente suja para fora, e retomando os seus compromissos com o seu grupo e com a população buziana - acrescentou Alair Corrêa.
Para o deputado logo no início, ele deu sinais de que não seguiria os rumos do plano de governo, quando trouxe da cartola o nome de Antônio Carlos Trindade [para a chefia de Gabinete] e cia., sem que ele tivesse participado do movimento antes, alegando que era amigo do seu pai, pescador.
- Ora, o Trindade não pesca nada. Só outras coisas - adiantou Alair.
Perguntado pelo editor do PH, se ele confirmava que o prefeito Toninho Branco fora funcionário de Cabo Frio, na sua época, Alai Corrêa confirmou.
- Foi ele, e parente também. É uma ingratidão ele negar isso. Muito tempo recebeu dos cofres de Cabo Frio [prefeito de Búzios em programa de Rádio negou ter sido remunerado pelos cofres públicos de Cabo Frio]. E mais tinha um tratamento privilegiado junto à rede de Saúde de Cabo Frio, quando precisava levar conhecidos - falou Alair Corrêa.
Nem mesmo o PMDB daqui lhe segue
Sobre uma afirmação do prefeito Toninho de que em Cabo Frio o PMDB já tinha candidato, e que, ‘se Alair viesse candidato, teria que procurar outro partido’, ele respondeu rápido: - Nem mesmo no PMDB de Búzios ele é liderança, muito menos em Cabo Frio. É muito cedo para dizer, se serei eu o candidato, porque dependerá do resultado das pesquisas. Caso o nosso grupo esteja ameaçado, e o meu nome servir de solução é claro que serei o candidato, acentuando que o desgaste de Toninho é muito grande na Cidade, por causa do descaso da sua administração com a Cidade. (RBF)



JPH, 5/5/2007