Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Secretaria de Turismo vira estacionamento de carro enguiçado I

Este carro está estacionado na Secretaria de Turismo há mais de um ano. Já foi matéria neste blog. Na semana passada ele foi adesivado. O seu proprietário- provavelmente o secretário de turismo- esperava usar o espaço privilegiado do estacionamento para fazer propaganda de seu candidato. Seria uma propaganda fixa, dia e noite. Uma maravilha! Só que ilegal. Na quinta-feira o adesivo foi retirado, acredito que por ordem do TRE. Agora, só falta o secretário- ou seu proprietário- retirar o carro dali porque a área é pública. Destina-se a servir de estacionamento para aqueles (incluindo turistas) que se dirigem à secretaria.

Observação: reparem na placa, que mesmo suja, revela duas cores- cinza e branca. Pode isso?

Carro chapa branca abandonado

Post 035 do blig
Data da publicação: 29/04/2010 20:19


O que faz este carro da prefeitura (placa chapa branca: LNM 4175) estacionado há muito tempo no Pórtico com alguns pneus “arriados” deteriorando-se no tempo, faça chuva, faça sol. Se fosse um carro particular isso aconteceria? É muito pouco caso com o dinheiro público!













Ver: "Secretaria de Turismo vira estacionamento de carro enguiçado II"
Ver: "Desgoverno I"
Ver: "Carro abandonado na Secretaria de Turismo foi retirado"

Comentários (2):

1.30/04/2010 às 14:06
Michael disse:

Luiz, me lembro do Isac pela cidade num carro de modelo muito parecido com esse( se não for desse), mesmo antes do início do governo. Por isso fiz uma consulta no site do Detran (http://www.detran.rj.gov.br/_monta_aplicacoes.asp?placa=lnm4175&cod=14&tipo=crlv&crlv=true&cod_img=pcyyq2). Lá não consta que este é um veículo oficial, e sim particular e em nome de “Denise”…


Verifica isso amigo. Ultimamente têm sido fabricadas umas placas refletivas (sei disso pq a minha é dessas) que parecem muito que são brancas ao invéz de cinza. Alguns amigos até me zuaram dizendo que eu tava de carro oficial, rs

Pode ser que você tenha se confundido companheiro. Verifica isso, ok?

Te conheço e sei da sua índole, por isso estou fazendo este comentário. Talvez, repito: talvez, tenha havido algum equívoco e essa placa não seja branca…

E se por acaso ela for, há algo de estranho, pois pelo Detran a informação não bate.

Forte abraço.

Michael

2. 30/04/2010 às 16:00
luiz do PT disse:

Valeu Michael. É de funcionários assim que o governo precisa. Não é a toa que você é concursado. Pena que o prefeito não vos valoriza. Muito obrigado pela pesquisa. Se o carro é da Denise, o problema é dela. Não temos nada com isso. Talvez ela incorra em uma infração por ocupar permanentemente uma vaga de estacionamento no Pórtico. Logicamente, se o carro é dela a placa deve ser do tipo dessas novas que você falou. Eu realmente não as conheço. Agora, se a placa for realmente branca, a coisa é muito estranha , como você disse. Tenho a foto do carro. Mesmo assim vou lá verificar. … um abração.
035-170
                                                                                                                                                                                                                                                                                      

Arco-Iris na Praça Santos Dumont

Post 014 do blig
Data de publicação: 11/04/2010 23:31



Comentários (4):

1. 13/04/2010 às 10:52
Janine disse:

Lindo!! A foto é sua?

2. 14/04/2010 às 14:32
luiz do pt disse:

Sim, Janine. Estava na praça. Quando parou de chover fui presenteado por essa beleza.

3.18/04/2010 às 7:54
j mathiel disse:

parabéns pelas foto e cidade

4. 18/04/2010 às 11:42
luiz do pt disse:

obrigado.
014-169

Pier de Manguinhos

Post 013 do blig
Data da publicação: 10/04/2010 23:57


013-168

domingo, 29 de agosto de 2010

Portal da câmara de vereadores de Armação dos Búzios

Post 012 do blig
Data da publicação: 09/04/2010 - 14:25

Por que o endereço eletrônico da nossa câmara de vereadores é …com.br? Será isso legal? Todas as câmaras da região são …rj.gov.br. Dá a impressão que o site é particular. No pé da página de abertura está registrado “2009 – copyright by Virtú Consultoria”. Será que o dia que terminar o contrato com a empresa Virtú ela leva o site com ela?

Meu comentário atual:

O contrato terminou ou foi rescindido? O que é certo é que o site escafedeu-se. Senhor presidente, vamos ficar sem site até quando?
012-167

Praia da Tartaruga III


Post 011do blig
Data de publicação: 08/04/2010 23:48




011-166

Contas de Toninho 2008

Post 010 do blig
Data da publicação: 08/04/2010 03:47

Na sessão de terça-feira passada (06/04/2010), a câmara de vereadores rejeitou por unanimidade (8×0) o parecer prévio contrário do TCE-RJ (o vereador Walmir Nobre faltou). Os vereadores desta legislatura (2008-2011) têm se posicionado contrariamente ao parecer do tribunal. No ano passado, votaram contra as contas de Toninho de 2007 quando o parecer pedia a aprovação. Agora votaram a favor quando o parecer defendia o contrário. Até aí nada demais. O julgamento da câmara de vereadores é político mesmo. O que os analistas políticos têm que fazer é entender o significado dessas votações. Dizem por aí que existe um misterioso e maquiavélico articulador político que não estaria interessado em deixar o ex-prefeito inelegível. Seria muito mais seguro para o atual prefeito enfrentá-lo em 2012 – já que o derrotou três vezes- do que enfrentar um candidato desconhecido. Nunca se sabe o que pode acontecer. Esse articulador não teria tido dificuldades em convencer os vereadores de que esse seria o melhor passo também para eles. As suas reeleições estariam garantidas com a reeleição de Mirinho. O que os vereadores não sabem é que o atual prefeito, a pedido do seu articulador político, lançaria em 2016 – como fez em 2004- um candidato para perder de Toninho, perpetuando assim a disputa eleitoral em Búzios a um confronto entre eles. Nao sabem também que esse misterioso articulador faz de tudo para que não surjam lideranças novas entre eles, convencendo o prefeito a nunca apoiar os mesmos candidatos a vereador em duas eleições seguidas. Reeleição de vereador da base do governo seria a pior coisa do mundo. Não foi sempre assim? Se for verdade, é muito maquiavelismo para uma pessoa só. Coisa doentia. E a cidade que se dane.

Observação: este texto foi publicado no JPH, 09/04/2010.

Meu comentário atual:

No ano passado,  quando da votação das contas de 2007 de Toninho Branco, o vereador Felipe Lopes declarou: "votei contra as contas de Toninho baseado no parecer do corpo técnico do tribunal de contas". E avisou que votará sempre pela reprovação de contas do executivo, se o corpo técnico do Tribunal de Contas assim indicar. (Jornal O Perú Molhado, 01/05/2009). Por que agora o vereador votou pela aprovação das contas de 2008 se o corpo técnico do TCE-RJ propunha reprovação? O que mudou, vereador? Coerência é isso aí! 
010-165

Contas de Toninho 2006

Por conta de uma medida liminar, as contas do ex-prefeito Toninho Branco não foram julgadas pela câmara no primeiro semestre de 2008. Medida providencial à época, porque ele já não gozava, há muito tempo, de maioria na casa legislativa. É bom lembrar que o atual prefeito, só pode disputar a eleição de 2008, porque também conseguiu medida semelhante. 

Na sessão de quinta-feira, dia 26, elas finalmente foram julgadas e aprovadas por 7 a 1 pela câmara de vereadores. O único voto contrário foi dado pelo vereador João Carrilho. O vereador Felipe Lopes que já disse que votaria sempre com o parecer do corpo técnico (OPM, 01/05/2009)- apesar de não ter cumprido a palavra na primeira oportunidade, quando da votação das contas de 2008- não compareceu. Por que será? Para não ter que votar pela reprovação, já que o corpo técnico assim o sugeriu?  

Pelo que percebi dos discursos dos vereadores (excetuando-se o vereador João Carrilho) nunca mais eles vão rejeitar contas de prefeitos. Será que aderiram ao cinismo do deputado Alair Corrêa que afirmou, em programa de rádio em nossa cidade, que conta de prefeito não se reprova? Alair passou a idéia de que o que se faz com um prefeito agora, pode, mais tarde, ser feito por ele contra você. O feitiço pode virar contra o feiticeiro. Resta, porém, uma questão:  como é que fica se o prefeito for desonesto, ladrão?

Alguns vereadores, em seus discursos, se referiram à questão da corrupção no TCE, investigada por uma CPI da ALERJ a partir de uma operação da Polícia Federal, como um fator de descrédito dos trabalhos da Corte de Contas. Como rejeitar contas assim? Outros, como Lorram, justificaram seus votos favoráveis à aprovação das contas, com exemplos contraditórios de decisão diferentes para casos semelhantes. Lorram citou casos em que o que é irregularidade em um municipio, vira ressalva em outro. Outros, não vereadores, me falaram que de nada adianta rejeitar contas de prefeito se depois ele consegue uma liminar na justiça e concorre tranquilamente. E até ganha eleição. 

Todos esses argumentos não passam de desculpas. Mas o que não se pode esquecer é que o corpo técnico ("corpo instrutivo") que auxilia os conselheiros nas suas decisões é altamente qualificado. Os técnicos do tribunal pertencem ao seu quadro permanente e são recrutados através de concurso público disputadíssimo. Além disso, geralmente são acompanhados em suas decisões pelo Ministério Público.
Comportamento pior do que não reprovar contas é querer aprovar contas rejeitadas em legislaturas passadas. O presidente da casa, Messias, fez um longo discurso defendendo a idéia de, assim que resolver os problemas judiciais, colocar de novo em votação as contas reprovadas de Mirinho de 2004. Ele já tentou isso uma vez. Felizmente, foi barrado pela justiça. Se não se reprova mais contas, que tal votar de novo as contas reprovadas de Toninho de 2007? Esta, pelo menos, foi votada nesta legislatura (os vereadores são os mesmos). É mais razoável!   

Observação: parece que o vereador Lorram, e outros, ainda não entenderam muito bem como se dá o processo de julgamento no TCE-RJ. Em discurso na tribuna, disse que o conselheiro revisor, Marco Antônio Barbosa Alencar (MABA), emitiu parecer favorável. Na verdade, o MABA é o conselheiro relator do processo de análise dessas contas. Foi sorteado. O conselheiro revisor é Júlio Lambertson Rabello (JLR). Ele só foi escolhido porque o relatório do conselheiro relator foi derrotado. Também não é verdade que no relatório final aprovado a única irregularidade que permaneceu, das três apresentadas inicialmente pelo corpo instrutivo (ou técnico), foi a que se refere à abertura de créditos suplementares em valor superior ao que a lei autorizava. Ou seja, Toninho teria suplementado 47,8 milhões de reais quando só poderia ter suplementado 44,1. Na verdade, após reexame das contas, o conselheiro relator, MABA, propôs que esta irregularidade fosse considerada como ressalva. Os demais conselheiros concordaram com esta proposta (a questão da suplementação não era mais considerada irregularidade), mas não concordaram que o parecer prévio fosse favorável à aprovação das contas, o que ensejou a confecção de um novo parecer prévio -agora contrário. No novo parecer prévio contrário, elaborado pelo conselheiro revisor, JLR, são apresentadas 19 impropriedades e 1 irregularidade. A única irregularidade que ficou foi quanto ao uso de royalties no pagamento de despesas com pessoal do quadro permanente. Isso é crime. 

Nesta questão cabe interpretação sim, vereador Lorram. Serviços terceirizados, por exemplo. Tem serviços que não substituem servidores, mas têm outros que substituem. Os serviços que não substituem servidores podem ser pagos com royalties. Muitas prefeituras se utilizam de contratos por prazo determinado com o intuito de burlar o concurso público. Não é o que acontece em Búzios? Vale alimentação pode ser pago com recursos dos royalties?  Cargos de comissão podem ser pagos com recursos dos royalties?  A lei estabelece que poderão ser pagas as despesas com pessoal contratado por tempo determinado para atender às necessidades temporárias de excepcional interesse público. Em Armação dos Búzios há gastos que vêm sendo realizado como despesa de contratação temporária, mas que são de fato despesa com pessoal de caráter permanente. Este governo e o anterior, não estão, há muito tempo, burlando a lei? Suas contas não devem ser rejeitadas por isso?
164

sábado, 28 de agosto de 2010

Praia da Tartaruga II

Post 009 do blig
Data da publicação: 07/04/2010 23:45






Comentário (1):

1. 06/04/2010 às 8:20
j mathiel disse:

É verdade que nome vem do formato da pedra?
Em Rio das Ostras é…
009-163

Praia da Tartaruga I

Post 008 do blig
Data de publicação: 06/04/2010 23:11




0017 (008)

Praia da Foca




0016

Transparência em Búzios I

Post 006 do blig
Data da publicação:05/04/2010 23:41

Post 007 do blig
Data da publicação: 05/04/2010 23:43

A placa (acima) é da obra da praça do Cruzeiro, Rasa. Repare no tamanhozinho dos números do valor da obra. No local, de frente para a placa, os números são ilegíveis. Esse é o governo que defendeu, nas eleições, a transparência.
Comentários:

 06/04/2010 às 10:54
Julio Medeiros disse:

Luiz!
Nem nos vidros dos para-brisas do carros dos governantes desta cidade existe transparência. Já que circulam com vidros fechados e cobertos com insufilme.
HAHAHAHA.

15/04/2010 às 9:31
milton filho disse:

companheiro Luiz eu hoje não tenho nenhuma dúvida,que a cidade precisa ser liberta,destes dois grupos políticos,porque senão das duas uma eles e seus apaniguados e financiadores,Levarão até as paredes dos próprios públicos.Eles nãoquerem e não conhecem transparência,porque vivem em trevas.

Meu comentário atual:

Para espanto geral, a obra, já considerada cara (custou R$ 93.673,80), teve um aditivo de R$ 15.046,92 (B.O.  448, de 20/08/2010). Os comentários dos usuários da quadra poliesportiva é que somente uma das quatro lampadas de cada refletor funciona. A obra não tem nem 5 meses pronta.
Na época, o jornal O Perú Molhado relatou que "os moradores da Rasa estavam queimando os poucos neurônios que têm na tentativa de entender onde foram parar os quase cem mil reais dessa obra" (OPM, 09/04/2010). 
0015 (006, 007)

Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV)

Post 005 do blig
Data da publicação: 05/04/2010 23:06

O site do ministério das cidades publicou o resultado da seleção das propostas do PMCMV para os municípios abaixo de 50 mil habitantes e Búzios não aparece. Das cidades com população dessa ordem na Região das Baixadas Litorâneas, só Quissamã foi selecionada. Lá serão construidas 30 unidades a um custo total de R$ 390 mil. O que não se entende é porque tanta discussão na Câmara de Vereadores se Búzios não vai participar do programa. Também não dá para entender porque o secretário de obras Wilmar Mureb disse, em depoimento no legislativo municipal, que está sendo feito um cadastro (na secretaria de desenvolvimento, trabalho e renda) dos possíveis participantes do programa em Búzios. Por falar em Habitação, o que faz o senhor Ricardo Romano como diretor de habitação do município?

Comentários:
18/04/2010 às 8:04
j mathiel disse:

NÃO ESTOU ACOMPANHANDO O ASSUNTO EM CABO FRIO, PORÉM A PREOCUPAÇÃO DO COMPANHEIRO PROCEDE…GOSTARIA DE SABER QUAL FOI O CRITÉRIO ADOTADO PARA ENTREGAR CHAVES DE APENAS 30 UNIDADES HABITACIONAIS – QUISSAMÃ…

18/04/2010 às 11:36
luizbz@ig.com.br disse:

Realmente não sei. Vou verificar.

20/04/2010 às 2:18
j mathiel disse:

OBRIGADO PELA ATENÇÃO…TRABALHEI NO BANCO NACIONAL DA HABITAÇÃO E CAIXA…SOU DO PT DE CABO FRIO…ABRAÇOS.

 27/07/2010 às 12:34
Luiz disse:

Gostaria de saber quais as condições para construção em terreno próprio, o valor do imóvel deve ser até 100.000mil, ai que fica a duvida, no caso de construção em terreno próprio o terreno entra como partre deste valor? Se entrar este valor seria venal, valor de compra ou valor de avaliação do Engº da Caixa? Até 100.000mil é o valor gasto na compra do terreno + construção ou o valor de venda do imóvel depois de pronto? O pessoal da caixa não sabe responder e não achei na internet as regras oficiais do programa, onde especifica as condições de cada modalidade. Obrigado

27/07/2010 às 15:01
luizbz@ig.com.br disse:

Caro sr. Luiz, acredito que o valor do terreno é sempre o valor de mercado (avaliado pelo Engº da Caixa e por um perito indicado pelo sr.). O valor do imóvel é indissociável do valor do terreno. Logo, até 100 mil reais é o valor do imóvel depois de pronto. Essa é a minha opinião. Peço aos demais leitores do blog que entendam do assunto que deixem aqui a sua opinião para auxiliar o nosso amigo sr.Luiz.
 
Meu comentário atual:

Continuo achando que o déficit habitacional de Búzios não existe. Não conheço ninguém na Rasa (e no Cruzeiro) que viva de aluguel. Aqui se invadiu terra à vontade e se construiu puxadinho do jeito que se quis. Falo no passado recente, mas não vejo dificuldade nenhuma para que tudo se repita atualmente, porque Búzios simplesmente não tem fiscais suficientes (nem vontade politica dos governantes) para fiscalizar todo seu território.

O problema maior da Rasa (em especial, do Cruzeiro) é melhorar as condições de habitação existentes.

0014 (005)

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Farinha do mesmo saco 1

Post 004 do blig
Data da publicação: 04/04/2010 20:16

O texto abaixo foi publicado no Jornal Primeira Hora, na coluna Opinião do dia 13/03/2007. Republico-o na íntegra por sua atualidade. A emenda Ibsen Pinheiro, ao colocar na agenda nacional a discussão sobre a redistribuição dos recursos dos royalties, coloca também, para nós moradores do Rio de Janeiro, a necessidade de avaliarmos o que os nossos prefeitos estão fazendo com estes recursos.

"O prefeito anterior, Mirinho, e o prefeito atual, Toninho, apesar das diferenças pessoais- um fechado, tímido até, e o outro só sorrisos e expansivo- na essência, do ponto de vista político e administrativo são iguais. Listamos abaixo uma série de características que comprovam tal afirmação.

1- Os dois só veem duas atividades econômicas no município: o turismo e a construção civil. A pesca, a agricultura familiar, o artesanato e os trabalhadores do turismo não receberam a menor atenção do governo anterior assim como não recebem do governo atual.

2- O governo Mirinho fez uma série de concessões à construção civil sob o argumento falacioso de que o operário da construção civil não poderia ficar sem emprego. Toninho faz o mesmo.

3- Mirinho defendeu a vinda de hotéis 5 estrelas para a parte continental do município. Toninho, com o Hotel Breezers, está colocando em prática o projeto.

4- Mirinho implantou e Toninho segue a risca o modelo de desenvolvimento insustentável baseado no tripé turismo predatório, construção civil e royalties de petróleo. Mirinho não se preocupou em criar fontes alternativas de receitas para o município para quando os royalties de petróleo acabarem, apesar ter prometido criar um mini-distrito industrial na campanha eleitoral de 1996. Em seu programa vitorioso em 2004, Toninho prometeu criar uma Incubadora de empresas, incentivar a instalação de um pólo de produção cinematográfica e um pólo tecnológico. Até agora nada.

5- Mirinho não se preocupou com a formação profissional sistemática dos trabalhadores buzianos. Da mesma forma, Toninho não implantou ainda uma Escola Técnica na cidade como prometera na campanha.

6- Mirinho não planejou o desenvolvimento da cidade como um todo. A Secretaria de Planejamento, tanto no governo anterior como no atual, só trata de urbanismo.

7- Mirinho estabeleceu um cabide de empregos na prefeitura. Toninho continua criando cargos de confiança e contratando funcionários por prazo determinado. Empregos de parentes (nepotismo) e cabos eleitorais, na sua maioria incompetentes, ferindo o príncipio constitucional da impessoalidade e da eficiência na gestão da coisa pública, é uma constante nas duas administrações.

8- Mirinho dispendia em torno de 85% do orçamento municipal com folha de pagamento e manutenção da máquina municipal . Toninho continua na mesma faixa. Resultado: nas duas administrações sempre sobrou muito pouco para investimento.

9- Mirinho gastava entre 41% e 45% do orçamento com a folha de pagamento. Toninho segue na mesma linha.

10- A função do orçamento que mais dispendia recursos do orçamento no governo Mirinho era urbanismo, mais até que saúde e educação (ver orçamento de 2002 e 2003). No governo Toninho continuamos privilegiando o urbanismo (Via Azul).

11- Depois de criar o cabide de empregos na prefeitura Mirinho resolveu criar o cabide de estágios em 2004 – ano eleitoral.- pomposamente chamado de iniciação do jovem ao trabalho. Esse programa caiu como uma luva nas mãos de Toninho que o rebatizou de “fomento ao trabalho”. O que prova que não existe muita diferença em termos de gestão administrativa entre os dois.

12- Mirinho alocava migalhas do orçamento para programas de geração de trabalho e renda. Toninho faz o mesmo. Para este ano estão previsto gastos de míseros R$ 31.295,00 no programa “Modelando o presente e costurando o futuro”.

13- Mirinho gastou em torno de R$ 1,2 milhões com assistência social em 2002 e 2004. Como o governo anterior que não fazia investimentos na geração de trabalho e renda, achando que o turismo de qualidade resolveria tudo, o governo Toninho prevê gastar este ano R$ 2,4 milhões com assistencialismo. Claro que quando não se dá dignidade ao trabalhador buziano através do emprego e de alternativas para o aumento de sua renda , cria-se uma grande demanda pele assistência social, ao mesmo tempo em que se mantém o povo pobre dependente dos favores dos político no poder.

14- Mirinho alocou no orçamento de 2004 R$ 3.190.000,00 para gastos com publicidade e R$ 1.040.000,00 para eventos. Toninho, na mesma linha, prevê gastar R$ 1.613.000,00 com publicidade e R$ 900.000,00 com eventos. É a República dos Eventos em ação, passando de um governo para o outro".

Réplica:

No dia 09/08/2008, na mesma coluna Opinião, o Sr  Carlos Gonçalves dos Santos foi escalado pelo grupo do Mirinho para a réplica, sob o título abaixo.

Propostas realizadas

Gostei e admirei a coragem senhor Luiz Carlos Gomes da Silva, conhecido como Luiz do PT, ao se manifestar, comparando as propostas de governo de Mirinho Braga (1996-2000) com as de Toninho Branco (2004). Relevo o fato de o senhor Luiz Carlos viver ainda um período recente na Cidade, sem ter nem sequer participado da luta pela emancipação político-administrativa, menos ainda por não ter participado da luta, que foi iniciar a vida de uma cidade, construindo-a, mais do que isso, organizando-a.

COMPARA as propostas apresentadas nos planos de governo de Mirinho Braga (1996 e 2000), com as de Toninho Branco (2004). Pena que ele fez uma comparação sem base explicativa que deixa o leitor e eleitor, com a impressão de que se trata de uma manifestação meramente política, mas partidária, de um recém chegado, sem conhecer a verdade.

COMPARAR as ações de um administrador com as do outro é tudo que queremos, afinal de contas, a qualidade e a quantidade das obras realizadas pelos dois primeiros governos de Mirinho Braga devem ser, sim, comparadas. E quem as compara é o povo buziano, que viveu e sentiu os efeitos, com os seus ônus e bônus, das duas administrações, e, certamente o fará de forma mais sensata do que a apresentada pelo professor aposentado nas bases do PT do José Dirceu - o mesmo PT que com bandeiras esteve à frente da campanha do atual prefeito, e que deixa pegadas ainda na atual administração, já que tem o seu atual presidente nos quadros da atual administração.

Algumas das propostas, que não foram realizadas no governo Mirinho Braga, assim aconteceu, porque foram conseqüências da responsabilidade administrativa e da participação popular, por exemplo, durante as reuniões do Governo Itinerante e das Assembléias do Orçamento Participativo, onde se rastreavam as demandas e os anseios do cidadão num livre e direto exercício da Democracia. O governo Mirinho Braga foi ajustando algumas de suas propostas às realidades encardas ao longo de sua administração, sempre como uma conseqüência do contato com o povo, numa permanente e continua interação com esse mesmo povo.

Não só a criação da APA Azeda/Azedinha, mas a fiscalização firme e atuante, pôde contribuir para a preservação ambiental e inibir, ao contrário do que hoje acontece, a degradação, causada por licenciamentos de obras em costões rochosos e em áreas de interesses ecológicos. Apenas para citar uma das ações.

Sem dúvida, o professor chegou tarde para ver de perto um dos maiores crescimentos administrativos que o Estado do Rio de Janeiro já teve. A Cidade de Búzios, com a seriedade e o respeito que poucos governantes ousam administrar, viu Mirinho Braga dar a largada em 96 com um orçamento de apenas R$ 6,6 milhões por ano, e entregar a Cidade 80% pavimentada e com uma rede pública de ensino premiada por renomados institutos e órgãos do setor. Sem contar a implantação de uma Saúde Pública, que atendia o cidadão com respeito e dignidade, sem excluir nenhum segmento.

O professor, aposentado pelas bases do PT de Latour e de Hamber, também omite o que prometeu Mirinho no seu plano de governo, quando falava em trazer para a Cidade uma política no setor do Turismo, nossa principal fonte de renda, que era a de um turismo de qualidade.

Pouco sabe ele, que em 96 a Cidade ocupava apenas o 36° lugar no ‘ranking’ de cidades que recebem turistas estrangeiros e que ao finalizar a sua participação no governo em 2004, Mirinho deixou Búzios no 6° lugar, à frente inclusive de grandes capitais do Nordeste brasileiro.

Compara mesmo senhor Luiz Carlos, pois o atual governo desfazendo tudo aquilo que foi sucesso administrativo, já regrediu o ‘status’ e a posição de nossa cidade para o 16° lugar.

Só comparando mesmo para ver que respeito ao cidadão não se dá com artigos tendenciosos nem com provas de desconhecimento de causa. Mirinho Braga sempre pautou seu governo na promoção da qualidade de vida para os buzianos e visitantes. Por isso, nunca transgrediu as Leis e muito menos chegou a admitir que as leis existem, mas que nem todas merecem cumprimento, como se manifestou o atual governante. Mirinho sempre esteve atento ‘as necessidades de sua gente e a qualquer hora, do dia ou da noite, desempenhava o seu papel de homem público e de um exemplar chefe de família. A omissão de socorro quer seja na área da Saúde, ou das ações sociais nunca pontuaram negativamente contra Mirinho Braga, por ser ele um homem que respeita o cidadão e os valores que suportam a Constituição desse País.

Mas tenho certeza que não só o atento professor Luiz, como outros recém chegados, poderá comparar e verificar que as promessas não cumpridas fazem parte da cartilha do então candidato em 2004, que hoje finaliza um governo totalmente desmoralizado e deixa uma cidade depenada em todos os sentidos.

Mas respeito as críticas e parabenizo a coragem do nobre professor que, mesmo sem conhecer a realidade, pontua as falhas e nos abre os olhos para acertar ainda mais. Mirinho, como sempre, pautado na honestidade, seriedade e amor a Búzios, agora mais amadurecido, vai estar atento a essas críticas e trabalhar dobrado para garantir a todos os buzianos um futuro melhor.

Tréplica:

Na seção Teclado do Leitor, escrevi uma carta respondendo ao artigo do Sr Carlos Gonçalves.

Resposta ao artigo “Propostas realizadas”.

Me desculpe a franqueza, Carlos Gonçalves, mas o senhor não entendeu o que escrevi. Em nenhum momento comparei as “propostas do governo de Mirinho Braga com as de Toninho”. O que eu fiz, foi simples. Peguei os três programas de governo (1996,2000 e 2004) e, em seguida, listei o que não foi cumprido nos respectivos governos. Mas essas promessas não cumpridas eu não citei, porque não me interessou neste estudo específico. O que eu quis fazer e fiz, foi mostrar as semelhanças entre eles até naquilo que não cumpriram. Isso para mim é bastante revelador para se entender a política em Búzios. Não foi à toa que ambos vieram da mesma escola do PDT de José Bonifácio, lembra-se?

Tendo ficado clara essa premissa, não faz o mínimo sentido o senhor dizer que a comparação não tem “base explicativa”, que “se trata de uma manifestação meramente política, mas (sic) partidária”, que meu artigo foi “tendencioso” e que o povo vai fazer a comparação de forma “mais sensata” que eu.

Também é preciso ficar claro que para ler três programas de governo, verificar o que não foi cumprido e listar o que tem de comum neles, eu não preciso ter muito tempo na cidade, posso ser um “recém chegado”, não preciso ter “participado da luta pela emancipação” e do primeiro governo Mirinho, como o senhor. Eu só preciso saber ler e entender o que leio. Existe uma ciência chamada História, feita a partir do estudo de documentos (antigos e recentes), que nos permite compreender determinada sociedade ou época sem que necessariamente a gente precise ter vivido nela. Às vezes, compreendendo até melhor do que aqueles que nela viveram.

Feito esses esclarecimentos, seria muito bom que essas promessas fossem realizadas no próximo governo que a cidade tiver, seja ele quem for. Sabe por quê? Porque elas são bastante atuais e necessárias para o desenvolvimento econômico-social sustentável de Búzios. O programa de governo defendido por Mirinho em 1996 era excelente. Falo isso sem nenhuma intenção de fazer pilhéria. Basta ver que a maioria de suas propostas não realizadas (1997-2000) está no Plano Diretor de Búzios, votado com a mais ampla participação popular.

Para que seu grupo político possa abrir “os olhos para acertar ainda mais”, seria bom que, além de analisar os reais motivos que impediram que essas propostas fossem implementadas, o senhor e o seu grupo parassem com o ufanismo. A sua empolgação ufanista o leva a afirmar coisas sem pé nem cabeça quando diz que com o governo Mirinho se viu “um dos maiores crescimento administrativo (sic) que o Estado do Rio de Janeiro já teve”. O senhor está falando do Estado ou de Búzios? E o que é crescimento administrativo? O mesmo ufanismo o leva a falar em “rede pública de ensino” premiada na época de Mirinho. A Educação do governo Toninho também foi premiada. Na verdade, essas premiações valem muito pouco. O que vale mesmo é a avaliação feita pelo MEC - o Enem e a Prova Brasil. O desempenho de Búzios nessas avaliações prova que Búzios nunca teve educação de qualidade.

Para abrir “os olhos para acertar ainda mais” é preciso parar de pintar o seu candidato com a aura de santo, como se ele fosse o único representante do bem na cidade. É como se o senhor dissesse: Mirinho e seu grupo representam o bem, os outros são o mal. Esse maniqueísmo infantil não contribui em nada para o pensamento, que é dialético, para a cidade e muito menos para o seu candidato, que o senhor diz estar hoje “mais amadurecido”. É esse maniqueísmo que o leva a uma análise superficial dos motivos que fizeram Mirinho não implementar suas propostas. Vejamos. O senhor dá dois motivos principais: 1)a responsabilidade administrativa; 2)a participação popular (Governo Itinerante e Orçamento Participativo). A sua explicação por si só diz tudo: “O governo Mirinho foi ajustando algumas de suas propostas às realidades encontradas (é isso?) ao longo de sua administração, sempre como uma conseqüência do contato com o povo, numa permanente e continua interação com esse mesmo povo”. Para ficar claro vamos pegar uma proposta concreta, a construção de um hotel-escola, por exemplo. Deixa eu ver se entendi o raciocínio lógico: 1)tem uma proposta de construir um hotel-escola; 2)Mirinho vai ajustando essa proposta; 3)Mirinho interage com o povo; 4) a proposta some (não se constrói o hotel-escola).

Para acertar “ainda mais” também é preciso utilizar dados corretos. Não sei de onde o senhor tirou que, em 1996, Búzios encontrava-se em 36º lugar no ranking de cidades que mais recebem turistas estrangeiros. Segundo os “Estudos de Demanda Turística Internacional” da Embratur, nesse ano, Búzios encontrava-se em 11º lugar. Nos anos anteriores, estava em 10º lugar em 94 e em 11º lugar em 95. Nos anos seguintes, as colocações foram: 98 (8º); 99 (10º); 00 (10º); 01 (10º); 02(10º); 03 (7º); 04 (8º) e 05 (9º). Analisando-se friamente os dados parece que a existência ou não do governo Mirinho em nada influenciou a colocação. Parece-me que a colocação independe dos governos. De onde o senhor tirou, também, que Búzios, hoje, está em 16º lugar? Também está incorreto dizer que Mirinho Braga deu a “largada em 96 com um orçamento de apenas R$ 6,6 milhões”. Esse valor era a receita prevista. O que foi gasto (receita realizada) foram R$ 9,3 milhões. Nos anos seguintes foram gastos (em milhões de reais): 98(15,5); 99(22,3); 00(31,9); 01(42); 02 (56,2); 03 (74,3); 04 (77,3). Total da receita nos 8 anos de governo Mirinho (1997-2004): R$328,8 milhões. Não dá mais para ficar dizendo que Mirinho nos seus 8 anos de governo não teve nem R$200 milhões de receita, a metade do que Toninho teve nos 4 anos. O importante é saber o que foi feito com essas receitas. Como Toninho, pelo menos a metade (um pouco menos) foi gasta com folha de pagamento dos funcionários da prefeitura. Entre eles os amigos, os parentes e os cabos eleitorais do seu grupo político. E a responsabilidade administrativa a que o senhor se referiu antes como justificativa para não cumprir as promessas? Entre as promessas e os cargos, optou-se pelos cargos, não?

Luiz do PT

Comentário atual:

Foi um raro momento da pré-campanha eleitoral em que se debateu idéias. Por isso publico aqui esses textos.

0013 (004)

Promessas do deputado Paulo Melo nas eleições de 2006

Post 003 do blig
Data da publicação: 03/04/2010 13:14

“Consegui com (o governador Sérgio Cabral) a instalação da primeira escola técnica de turismo em Búzios. Vou providenciar o asfaltamento das periferias da Rasa e São José. E não vou esquecer da Maria Joaquina (que não pertence a Búzios por enquanto, mas que tem muitos buzianos). Uma obra que me empenharei pessoalmente para que se realize. A conclusão da Via Azul será realizada com meu apoio” (Paulo Melo, O Perú Molhado, 29/09/06).

Cadê a escola de turismo? A Rasa e São José esperam até hoje o asfaltamento. A Maria Joaquina continua esquecida por ele e pelo governo de Cabo Frio. Quanto ao bairro, ele continua “por enquanto” pertencendo a Cabo frio, apesar do “empenho pessoal” do deputado em trazer ele de volta para Búzios. E a Via Azul ficou só na primeira etapa, apesar do “apoio” do deputado!!!

É bom que o eleitor fique de olho nesses deputados que durante as eleições tudo prometem mas depois de eleitos somem da cidade.

Meu comentário atual:

Continua sendo bom que o eleitor fique de olho.
0012 (003)

A questão da saúde em Búzios

Na sessão de terça-feira, dia 24, o presidente da câmara de vereadores, Messias, usou a tribuna livre para falar da questão da saúde em Búzios. Desde a mudança da secretária, a saúde vem sendo muito discutida no legislativo. Lembrando do PT velho de guerra- ao qual pertenceu nos anos 90-, Messias  defendeu que é preciso se fazer uma inversão de prioridades. O foco da questão não deve ser colocado nas consequências, mas nas causas. Só assim- analisando as causas- se poderá apontar soluções para os problemas que afligem a saúde em Búzios.

Messias começou sua análise afirmando que a incidência de acidentes de trânsito em nossa cidade é muito grande. Isso se deve a uma série de fatores tais como inadequação de nossas vias, falta de calçadas, sinalização deficiente e má educação no trânsito dos motoristas. Além disso, a população tem o hábito de ir ao hospital mesmo que seu caso não seja uma emergência, sobrecarregando assim o atendimento.

Portanto, para melhorar a saúde precisamos de planejamento e ações preventivas. Nesse sentido, os módulos médicos de família precisam ser reestruturados, a policlínica desafogada e informatizar de vez a saúde em Búzios com a criação do cartão saúde para acabar com a fila para marcação de consulta. Afinal, segundo o vereador-presidente, estamos no século XXI e dispomos de ferramentas -a informatização- para fazer algo diferente para o bem de nossa sociedade. 

É incrivel como em Búzios as pessoas repetem afirmações dos outros sem a mínima preocupação de fazer uma checagem. Repetem-se chavões e mais chavões que viram verdades eternas como, por exemplo, a afirmação de que a maioria da população de Búzios é evangélica. Não é não. A maioria ainda é católica. Talvez neste censo de 2010 o catolicismo possa vir a perder o posto. Voltando ao nosso tema. Quem disse que a nossa cidade tem um alto número de acidentes de trânsito? Os pardais foram colocados na Avenida J.B.R.Dantas sem estudo técnico nenhum, simplesmente para aumentar a arrecadação. Basta parar de preguiça e fazer uma pesquisa no site do DATASUS (http://siops.datasus.gov.br/indicamun.php?escmun=3). Vejamos o que ele nos diz.

Em 2004, tivemos 17 mortes por acidentes de trânsito. Em 2005, 9. Em 2006, 2007 e 2008 o número de óbitos permaneceu constante, igual a 11. A criação do canteiro central não influiu em nada na ocorrência de acidentes fatais. 

É óbvio que a prevenção é a melhor politica quando se fala de saúde. Mas é outra falácia dizer que os módulos médicos de saúde foram desestruturados no governo anterior. O DATASUS tem dados estatísticos que provam que eles funcionavam muito melhor no governo Toninho do que nos governos anteriores de Mirinho. A informatização da saúde ninguém discute. Mas, presidente, é um absurdo em pleno século XXI a câmara não ter um site funcionando. Não digo nem um site interativo. Só funcionando, pelo menos. 

O grande problema da saúde em Búzios, vereador presidente, é o grande problema do governo e da administração da câmara também. O problema chama-se MÁ GESTÃO. O DATASUS nos mostra que a participação da despesa com pessoal da saúde na despesa total com saúde foi de 70,07% no ano de  2009. No ano anterior (governo anterior), foi de 48,96%. Isso significa que se entupiu o hospital, policlínica, módulos médicos de família, com aquela praga conhecida como clientela política. Na sua gestão na câmara ocorreu o mesmo. Aí tem tanta gente que se todas estiverem na câmara ao mesmo tempo vai faltar lugar para elas. Outro sintoma de má gestão na saúde é a praga dos serviços terceirizados, como de resto em todo o governo. Em 2009, a participação da despesa com serviço de terceiros pessoa jurídica na despesa total com saúde foi de 21,43%. Nesse mesmo ano, Rio das Ostras gastou 16,37% e Cabo Frio, 7,73%. Para finalizar, a última praga da saúde, que também é do governo, é a falta de investimento. Gasta-se tanto com funcionários e serviços terceirizados que não sobra nada para investimento. A participação da despesa com investimento na despesa total com saúde foi de 0,19% em 2009. Como ter saúde decente assim?
0011

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Obra de arte 2

                                           Este trabalho é do meu amigo Thomas Sastre.
                                           Está exposto na Igreja Santa Rita.
                                           Foi doado pela família Drummond.

0010

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Deu no portal da câmara de vereadores de Búzios

Post 2 do blig
Data de publicação: 02/04/2010 01:28 

“O vereador João Carrilho iniciou sua fala na Tribuna Livre falando da CPI de autoria própria, que estava na pauta da sessão. O vereador embasou a proposta da CPI em denúncias que não são provadas. A CPI trata de um empreendimento, que tratou com o município a implantação de 8.220m de rede de esgoto em Búzios, o que não prova ter cumprido. Ainda segundo o vereador, a empresa vem recebendo Habits, o que só deveria ser concedido após a implantação do esgoto no bairro de Cem Braças. O vereador menciona a importância desta CPI, a primeira deste Legislativo, como forma de cumprir sua parte, apurando os fatos. João deixou bem claro que não é contra a empresa, mas quer informações precisas e reais sobre os fatos”.

O que é isso? O vereador iniciou sua fala falando!!!…O vereador embasou a CPI em denúncias que não são provadas!!! A CPI trata de um empreendimento que tratou!!!…o que não prova ter cumprido…. A empresa vem recebendo “Habits” (o que é isso?) O que quer dizer “vem recebendo”? Será que todo dia o SuperClubs Breezes Resort vem recebendo o tal do “Habits”? A importância da CPI está no fato do vereador “cumprir a sua parte”!!! E o que mais impressiona é que em nenhum momento o nome da empresa Breezes é mencionado. Será que é porque o redator(a) do texto não sabe escrever o nome dela? Uma lástima senhor presidente!

Comentários:

. 12/04/2010 às 13:35
Michael disse:
Luiz, parabéns pelo blog. Já adicionei entre meus favoritos para acompanhar.
Quanto ao post em tela, tenho pouco a dizer; mas pérolas do tipo têm repetição no portal “.com. br” da câmara buziana. Veja o destaque do dia de hoje, sobre o discurso de Genilson:
“Pontos antes referidos em discursos anteriores foram novamente trazidos à debate na fala do vereador,” (…)
Se interessar ler o resto, segue o endereço: http://www.camarabuzios.com.br/destaque.html
Abraços,
Michael

20/04/2010 às 2:30
j mathiel disse:
QUEM PEGA BONDE ANDANDO, PODE CAIR…MAS, MESMO ASSIM,………………HABITE-SE ………………………..QUER DIZER, AO PÉ DA LETRA, PODE SER HABITADO, TEM CONDIÇÕES PARA HABITAÇÃO…

Meu comentário atual:

Quem diria, hoje a câmara não tem nem site. Ele está há mais ou menos três meses fora do ar. Na sessão de hoje, dia 24/08, o vereador presidente, Messias, usou a tribuna livre para pedir que se faça uma inversão de prioridades. Em vez das pessoas colocarem o foco nas consequências, elas deveriam focar as causas dos problemas. Só assim se poderia encontrar soluções para eles. Falando sobre os problemas da saúde, disse que é um absurdo, em pleno século XXI, as filas quilométricas para a marcação de consulta. Hoje, com a informatização, segundo o vereador, temos ferramentas para acabar com elas. E a câmara, vereador presidente? A sua administração está quase acabando e nada de site no ar, transmissão online das sessões. E a câmara itinerante? É lei, vereador presidente? Quem não cumpre a própria lei que criou é o que?

9 (2)     

O orçamento de 2010

Post 1 do blig
Data de publicação: 01/04/2010 17:19

Na abertura dos trabalhos legislativos deste ano o prefeito Mirinho Braga compareceu à Câmara dos Vereadores onde discursou afirmando que quer “ouvir as vozes da população mais distante e necessitada” (JPH, 05/02/10). O discurso vem reforçar promessa feita durante a campanha eleitoral. Mas será que o prefeito quer mesmo ouvir o povo pobre e trabalhador dos bairros mais carentes e distantes? A prática governamental parece desmentir a teoria.

No ano passado, Mirinho mandou o orçamento para a câmara de vereadores com uma série de programas não se sabe elaborados por quem, onde e quando. Os secretários participaram? Quais? O prefeito consultou alguém de fora do governo? Nada se sabe.

Na verdade, uma análise rápida dos programas e ações previstos nos permite afirmar que o governo ao elaborar o orçamento não ouviu nem pensou em nenhum momento no povo pobre e trabalhador de Búzios. Mesmo que se aceitasse o argumento do governo de que recebeu uma herança maldita do governo anterior, com dívidas astronômicas (da mesma forma que deixou dívidas em 2004), que estava arrumando a casa para organizar o orçamento participativo depois, se o governo quisesse saber do que realmente o povo pobre e trabalhador necessita, bastaria recorrer ao nosso Plano Diretor (PD) aprovado em 2006. Ele teve uma ampla participação popular. Os representantes dos trabalhadores estavam lá. Além de tudo é lei. E ela é bem clara: “Os programas e ações constantes do PPA relacionados às disposições deste Plano Diretor, devem ser desdobradas em prioridades e metas anuais, a serem incorporadas pelas diretrizes orçamentárias e pelos orçamentos anuais instituídos por lei” (artigo 72).

Se tivesse feito isso teria incluído no orçamento a construção do Hotel Escola (artigo 97,V,F). É um absurdo uma cidade internacional como Búzios não ter um Hotel Escola. A maior parte da mão de obra da cidade trabalha em turismo. Os trabalhadores deste setor precisam dele para se qualificarem profissionalmente. Dizem que os hoteleiros são contra a construção de um hotel escola porque isso aumentaria o valor da mão de obra. Nosso prefeito os atende?

Também não esqueceria os trabalhadores rurais do município. O Plano Diretor fala em “estabelecimento de um cinturão verde de proteção nas divisas do município, de forma a preservar a perenidade dos recursos naturais, inclusive na área agrícola” (artigo 15, III). Por que não a construção de um Mercado do Produtor Rural? Isso incentivaria a produção com a consequente valorização dessas propriedades, resultando num freio à favelização da nossa periferia. Mas a especulação imobiliária não admite a existência de áreas rurais em Búzios. Temos trabalhadores rurais mas não temos áreas rurais! Mirinho concorda com eles?

E os pescadores? Por que não construir um entreposto pesqueiro, que além da atividade comercial servisse também de um atrativo turístico? O Plano Diretor fala em “implantação de um centro de beneficiamento do pescado” e “criação de um museu do mar e da pesca”. (artigo 98). Parece que os hoteleiros não querem um entreposto pesqueiro na Orla. O problema seria o cheiro do peixe. Mirinho concorda com eles?

E as mulheres trabalhadoras? Não é possível que o município em que, segundo as pesquisas, 30% das mulheres sejam cabeça de casal, só tenha um única creche, que atende somente 80 crianças! Essa creche custou em 2004 R$ 360.000,00. O governo alocou 300 mil reais no orçamento deste ano para creche. Só o bairro da Rasa precisa no mínimo de mais 5 creches como a que já existe lá. É só calcular o numero de crianças de 0 a 4 anos e o perfil da renda. E os outros bairros? Mirinho está preocupado com as mulheres trabalhadoras que não têm com quem deixar seus filhos para poder trabalhar?

Em seu discurso Mirinho fala também em dois “projetos fundamentais”: o concurso público e a licitação dos transportes públicos. Quanto a este último projeto, na questão da mobilidade, o orçamento não prevê nenhum investimento para a “oferta de rede de ciclovias que possibilite a circulação intra e inter-bairros” (artigo 19, II) Quem conhece a vida da “população mais distante e necessitada” sabe que os trabalhadores usam suas bicicletas para trabalhar porque as passagens são muito caras. As ciclovias estão previstas no plano de transporte da cidade?

O que a Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho e Renda faz quanto à geração de trabalho e renda? O Plano Diretor fala em apoiar a fabricação de produtos para esportes náuticos, a agricultura familiar e urbana, o artesanato, pequenos estabelecimentos de comércio e serviços” (artigo 4º, XII); criação de cooperativa para promoção de sistema de coleta seletiva, reaproveitamento de material reciclado para atividades de artesanato, produção de adubo orgânico, como alternativas de geração de emprego e renda” (artigo 78, XXI, item B); criação de incubadora de empresas para exploração do potencial econômico local (artigo 99, VIII) e incentivo à implantação de indústrias não poluentes de artigos relacionados com o turismo e com as atividades náuticas (artigo 17, VI). Mirinho está preocupado com a geração de trabalho e renda? O município sabe quantos desempregados ou subempregados temos na cidade? O que se faz por eles?

Na verdade, tanto este prefeito governa, quanto o anterior governou (por isso se diz que eles são farinha do mesmo saco), para a elite econômica da cidade: grandes especuladores de terra, grandes hoteleiros, grandes comerciantes, grandes empreiteiros da construção civil. Estes são os verdadeiros beneficiários das ações governamentais. A análise dos orçamentos municipais desde a emancipação prova isso. Para o povo pobre uma política pública pobre. Às vezes nossos governantes representam frações rivais desses setores. Não é à toa que eles têm até arquitetos preferidos rivais. Amigos gringos rivais também, nunca gringos trabalhadores pobres, mas grandes comerciantes.

Comentários:

01/04/2010 às 15:09
Flávio disse:

Parabens Luiz, ótimo texto!!!

02/04/2010 às 12:12
Julio Cesar disse:

Muito bom!! Bem explicado e transparente, e de facil leitura!!! Parabéns!!

03/04/2010 às 12:31
Stela disse:
 
É isso aí….companheiro! Mto bom!

Meu comentário atual:

Quase 5 meses depois e nada de se realizar as políticas públicas de trabalho e renda contidas no Plano Diretor. Ele é lei. Foi elaborado com a mais ampla participação popular. As políticas públicas do Plano Diretor devem se tornar prioridades e metas tanto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) quanto da Lei Orçamentária Anual (LOA). Para que então ele foi feito? Por que se gastou tanto dinheiro e tanto tempo das associações civis de Búzios?

O que faz a secretaria de desenvolvimento, trabalho e renda quanto a trabalho e renda? Nem mesmo um balcão de emprego a secretaria consegue criar. 
8 (1)   

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Novo blog

Como não consegui importar os posts do meu antigo blog (blog do IG), resolvi republicá-los um a um, mesclando com os novos. Foi a única forma que achei de manter todo o arquivo do que escrevi. Peço a compreensão dos leitores, principalmente daqueles que já tenham lido o post reproduzido. Acredito que para os demais, os posts republicados poderão ter interesse porque, em muitos deles, procuro discutir determinadas questões ao nível teórico, não as circunscrevendo no tempo. 

Observação: manterei o mesmo título, mas acrescentarei o número do post no blig, a data da publicação, os comentários feitos à época e o meu comentário atualizado.

Comentários:

Michael disse...
Companheiro,
já conheço sua "casa nova" e pode contar com minha presença...
abraços
0007 

Praia Rasa

                   0006                                     
         

sábado, 21 de agosto de 2010

Eleição simulada em Búzios

O secretário de Tecnologia da Informação do TRE-RJ, André Luiz Araújo, vai a Armação dos Búzios acompanhar a simulação das eleições com urnas biométricas. A primeira etapa da simulação ocorre neste sábado (21), entre 8h e 17h, quando os eleitores da Escola Municipal Darcy Ribeiro, na Rua Pastor Gentil Medeiros, Centro, vão votar em candidatos fictícios em cinco urnas biométricas, instaladas no local. Os 1.600 eleitores das seções eleitorais localizadas na Escola foram convidados por carta pela 172ª ZE.

A segunda etapa ocorre após o encerramento da votação, quando os dados das urnas serão transmitidos online para a totalização na sede do TRE-RJ. Em seguida, na última etapa do processo, os dados seguem para o TSE, responsável pela divulgação dos resultados. Armação dos Búzios é o único município no Estado do Rio de Janeiro cujos eleitores irão votar em urnas com leitor biométrico neste ano, que permite identificá-los por meio da impressão digital. O secretário de TI, André Araújo, vai estar à disposição da imprensa para entrevistas depois de iniciado o teste, às 8h da manhã de sábado (21).

Extraído do site do TRE-RJ: http://www.tre-rj.gov.br/
0005

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Salada partidária

Fiz uma pesquisa sobre quais candidatos nossos vereadores estão apoiando. Para deputado estadual, Paulo Melo (PMDB) é o preferido. Tem 4 apoios na câmara: dos vereadores Felipe (PSC), Nobre (PMDB), Joãozinho (PDT) e Genilson (PMDB). Em segundo lugar, vem o candidato Jânio Mendes (PDT), que conta com 3 apoiadores: Leandro (PSC), Lorram (PTdoB) e Messias (PDT). Miguel Jeovani (PR) e Christino Áureo (PMN) têm um único apoio, da vereadora Joice (PSDB) e do vereador Evandro, respectivamente. 

Só na disputa para deputado estadual já se vê uma miscelânea partidária digna de uma politica de terceiro mundo. Como explicar o apoio do vereador Felipe Lopes a um candidato do PMDB se o seu partido tem no Rio de Janeiro 105 candidatos a deputado estadual. Será que nenhum deles presta. Se a afirmação é verdadeira, o que ele está fazendo nesse partido. O mesmo vale para o vereador Leandro. Como justificar o apoio ao candidato do PDT, Jânio Mendes ? Só porque é o candidato do prefeito? O que a cidade ganha com isso?

O vereador Joãozinho Carrilho também participa da salada. Por que está apoiando o candidato Paulo Melo do PMDB, se o seu partido, o PDT, tem 102 candidatos a deputado estadual? O vereador Lorram, do PTdoB, apoia o candidato do prefeito, Jânio Mendes do PDT. Cabe a mesma pergunta feita ao vereador Leandro. A vereadora Joice (PSDB) está apoiando o candidato Miguel Jeovani do PR. Por que? E o vereador Evandro (PMDB) apoia Christino Áureo, do PMN. Por que?

Para deputado federal a salada é mais indigesta ainda. Praticamente cada vereador escolheu um candidato. Só o candidato do prefeito Mirinho, Sérgio Sveiter (PDT), conseguiu dois apoios. O que demonstra que o prefeito só conta mesmo com apoio incondicional dos vereadores Lorram e Messias. Sua maioria de 7 vereadores esvaiu-se. E isso acontece em um momento crucial, pois aproxima-se a eleição para presidente da casa para o próximo biênio. Dos outros vereadores, somente Genilson está apoiando um candidato de seu partido: Solange Almeida. Frise-se que a candidata só está disputando por conta de um recurso. Também é o caso de Garotinho. Felipe apoia Eduardo Cunha, do PMDB. Nobre, Paulo César, do PR. Joãozinho, Alexandre Cardoso, do PSB. Leandro, Arolde de Oliveira, do DEM. Joice, Garotinho, do PR. E, Evandro, Felipe Bornier, do PHS. 
4     

Obra de arte 1


Foto tirada por mim da casa em Geribá que hospedou Ana Paula e amigos de BH


Comentários:

luiz do pt disse...
Tá aí o que você queria Kátia...beijos, Luiz

                                                                                                                                                                 3                                                                                                                                                                 

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

O que é isso companheiro?

A sessão da câmara de vereadores de terça-feira (10/08) conseguiu fazer uma radiografia quase completa da triste situação em que se encontra a nossa cidade. Vários sintomas de degradação moral e politica foram apontados. Começou com a discussão do requerimento do vereador Evandro que pede a relação de todos os protocolos fornecidos a partir do primeiro dia deste governo. Suspeita-se que eles estão sendo vendidos. Este é o sintoma 1: corrupção. As suspeitas são tão fortes que o vereador da base, Lorram, votou a favor. O vereador Evandro falou da simbologia do Pórtico separando as duas Búzios e lembrou que o bairro Baía Formosa desde a emancipação está abandonado. Chegou a chamar o ex-prefeito Toninho Branco de Toninho Braga, tal as semelhanças de suas politicas excludentes. Sintoma 2: exclusão social. O vereador Lorram falou dos secretários e diretores que não estão nem aí para a cidade. Depois das 5 horas da tarde e nos finais de semana eles somem e não atendem ninguém. Sintoma 3: falta de compromisso da máquina administrativa com o povo. O mesmo vereador, Lorram, citou o caso de calamidade pública que é o córrego de esgoto em José Gonçalves. O vereador Felipe Lopes reclamou que a cidade está escura apesar de nesta legislatura a taxa de iluminação pública ter voltado a ser cobrada. Falou também do problema do teto da escola José Bento que ameaça cair. Terminou sua intervenção perguntando se algum equipamento foi comprado com o dinheiro dos royalties para conter a chegada de óleo em nossas praias. A vereadora Joice fez uma indicação solicitando que o governo exame a potabilidade da água que as crianças bebem nas escolas municipais. Este é o sintoma 4: descaso com o dinheiro público e com a saúde de nossas crianças. Para finalizar, a questão do cais do Porto Veleiro. Como é que uma pessoa ocupa de forma tão precária um ativo da União e ninguém faz nada? Já fez duas obras e não aconteceu nada. Sintoma 5: a elite faz o que quer na cidade.

Mas o título do post se refere ao discurso do presidente da casa. Para o vereador Messias, o "proprietário" do cais não pode fazer a obra porque ele não tem autorização da União (SPU), que é quem dá autorização para obra em espelho dágua. Se ele não tem autorização da União, se a prefeitura atual também não autorizou (o "tudo a opor" do secretário Ruy), então o governo tem que intervir para "retirar tudo o que ele está fazendo lá". O vereador presidente chega a sugerir que a obra tem que ser desfeita na marra. Calma companheiro! Vivemos em um estado de direito. O proprietário do Cais ganhou um mandato de segurança para continuar a obra. Esse mandato revogou a liminar dada ao presidente da Colônia, Chita. Muito mais razoável é a proposta do vereador Lorram de realizar uma manifestação popular pacífica para paralizar a obra, caso não se conseguisse o objetivo por meios legais.                                                                                                                                                                                                                                        
                                                                                                                                                                 2


Comentários:

Katia disse...
O IG é mesmo muito ruim. Há uma semana não conseguia entrar no seu blog.Posso fazer um pedido? Poste umas fotos de Búzios. Tá fazendo falta ! Abraços
Kátia
luiz do pt disse...
Kátia, obrigado pela sugestão. Estou providenciando... Um abraço, Luiz