Publicidade 1

Publicidade 1

publicidade 2

publicidade 2

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Resposta do Grupo Freedom Búzios à vereadora Joice

video


A questão de ideologia de gênero foi usada por conservadores para impedir a questão do "respeito à identidade de gênero" e que NUNCA houve essa inclusão nem pelo MEC nem pelos movimentos feministas e LGBTs do Brasil. O movimento luta pelo respeito a identidade de gênero a fim de diminuir a evasão escolar e nunca pautou sobre ideologia de gênero.

A vereadora precisa entender que "a escola é um espaço não só para ensinar letras e números, mas também para promover cidadania; e, nesse sentido, deve ser espaço democrático e inclusivo, onde estudantes aprenderão que é possível o convívio com a diferença longe da violência e opressão. Uma escola que promova a igualdade de gênero não é uma escola que ensina crianças e adolescentes a serem gays ou que ensinam sexo de maneira inapropriada para as diferentes faixas etárias. É espaço pedagógico no qual se aprende que sexo é muito mais que natureza ou biologia, é também regime político da vida. Por isso acreditamos que a escola é lugar para o ensino do respeito mútuo. Isso não significa que a escola disputará com a casa ou a igreja – há valores morais que aprendemos e ensinamos em nossa vida privada. Mas é principalmente na escola que convivemos pela primeira vez com os diferentes de nós: as crianças verão que há diferentes cores, religiões e modos de se apresentar no mundo. Uma escola que promova igualdade de gênero será também espaço para todos e todas e, quem sabe em um futuro bonito, terá a potência de formar uma sociedade livre do ódio, violência ou perseguição.

Assim, não nos cansaremos de repetir: escola é instrumento poderoso para o exercício da cidadania e formação de meninas e meninos. Silenciar o gênero na escola é reproduzir as desigualdades, é ignorar a diversidade e a possibilidade de uma vida feliz com nossas próprias escolhas no campo sexual e reprodutivo. Falar e promover a igualdade de gênero na escola não é anular as diferenças ou promover ideologias, mas garantir que qualquer cidadão e cidadã brasileira viva e apresente-se da forma como quiser. Falar de gênero nas escolas é garantir que todos e todas sejam respeitados e respeitadas por suas escolhas, condições e afetos.

Entre a população LGBT o não acesso à escola e a evasão escolar (ou melhor, e expulsão da escola!) é uma situação gravíssima porque, além de sofrerem discriminação e violência nas ruas e muitas vezes na família, são alvo de violência dentro das escolas.
Mas nós resistiremos e não nos cansaremos de repeti-lo, pois acreditamos que o espaço escolar deve promover a igualdade. Se há razão em dizer que ninguém nasce mulher, mas torna-se mulher, também diremos que ninguém nasce homofóbico, transfóbico ou agressor de mulheres."

Luciana Britos, pesquisadora e psicóloga

Fonte: "freeedombuzios"

observação: a jornalista Renata Cristiane também publicou em seu site uma resposta dura à vereadora. Ver  o post "FISCAL DE GENITÁLIA' em "rc24h".

Você sabia que o hino de Búzios será escolhido no dia 25?

Hino oficial de Búzios será escolhido dia 25 via voto popular

A Prefeitura de Búzios está na reta final para a escolha do seu hino oficial. No dia 25 de outubro, às 17h, no Cine Teatro Rasa, no Inefi, serão apresentados os três hinos finalistas. Após a apresentação dos hinos, a população votará nas urnas distribuídas no Cine Teatro Rasa.
O hino eleito pela votação popular (maioria simples de votos) pontuará 60% (sessenta por cento) do total dos pontos, ou seja, 60 (sessenta) pontos.  Durante o mesmo período, estabelecido para votação popular, a Comissão Julgadora, elegerá um hino, também por maioria simples de votos. Esta eleição, eminentemente técnica, pontuará os 40% (quarenta por cento) restantes do total de pontos, ou seja, 40 (quarenta) pontos.
Os finalistas são:
Um Hino para Búzios - Composição: Luiz Fernando Batista de Brito "Babau"

Hino Armação dos Búzios - Composição: Edelir Mureb Lemos e Miriam Shenguert Andrade





Salve Búzios! - Composição: Marcos Clayton Assis Sodré e José Mendes Simões



Por Ascom Búzios em 09/10/2017



Meu comentário:
faltam cinco dias para o hino ser escolhido e a cidade não sabe de nada. Essa assessoria de comunicação é uma piada. Vale até marchinha de carnaval, ou estarei enganado?

Comentários no Facebook:

Marcia Maria Correia O QUE EU NÃO ENTENDI O PORQUE O HINO DE BÚZIOS, TER COMO HARMONIA ou MELODIA MARCHA DE CARNAVAL.
Responder2 h
Remover
Verônica Cangiani Lindo a letra
Responder1 h
Remover
Marcia Maria Correia Com a letra tudo bem , falo a respeito da melodia, quero entender já que será um hino oficial.
Eduardo Moulin Hoje tudo ficção do que búzios foi um dia, estão bonitas agora se coloca-se as letras acompanhando a historicidade do município daria um samba do crioulo doido!


quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Eduardo Cunha quer seu mandato de volta

Eduardo Cunha deixa a sede da PF após depor (Jonathan Campos/Gazeta do Povo/Folhapress)

Eduardo Cunha solicitou a seus advogados que preparem uma petição ao STF reivindicando a devolução do seu mandato de Deputado Federal. É o que garante a coluna Radar da Veja.
O pedido será embasado na decisão que beneficiou Aécio Neves. Cunha foi afastado da função pública de parlamentar sem que a decisão do Supremo fosse confirmada pela Câmara de Deputados, como estabeleceu a Corte ao julgar recentemente Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI).

Se o Fachin não tivesse sentado em cima dessa ação, meu destino poderia ter sido outro”, disse o ex-deputado.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

MPRJ ajuíza ação contra ex-prefeito de Araruama por uso indevido de verbas do FUNDEB

André Mônica, ex-prefeito de Araruama, foto jornaldesabado
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, por meio do Grupo de Atuação Especializada em Educação (GAEDUC/MPRJ) e da Promotoria de Justiça de Família, Infância e Juventude de Araruama, ajuizou ação civil pública por improbidade administrativa contra o ex-prefeito André Luiz Mônica e Silva.
 
Segundo a ação, entre 2009 e 2012, período em que André Luiz esteve à frente da Prefeitura, a gestão dos recursos da educação foi irregular, gerando prejuízos não apenas à administração financeira, mas ao acesso e à qualidade da educação no Município.
 
De acordo com o MPRJ, ex-prefeito André Luiz deixou de adotar, durante toda a sua gestão, as medidas necessárias para assegurar a transparência das informações pertinentes às receitas e às despesas com educação. 
 
Ainda segundo o MPRJ, André Luiz aplicou indevidamente os recursos da educação, fato que tentou ocultar apresentando dados equivocados, falsos ou incompletos na contabilidade pública (planilhas, balancetes e afins), nas prestações de contas e nas demais informações de interesse público. Com isso, as informações públicas se tornaram confusas ou intempestivas, a ponto de impedir ou dificultar a análise e a avaliação se estavam certas ou erradas.
 
A ação aponta, ainda, que o déficit deixado pelo ex-prefeito André Luiz para o exercício de 2013, quando já não estaria mais no cargo, foi de mais R$ 5 milhões. Pelos atos do ex-prefeito, o MPRJ requereu à Justiça a concessão de medida cautelar de indisponibilidade de bens de André Luiz, em valor não inferior a R$ 14,5 milhões. O MPRJ também demandou a condenação do ex-gestor do Município de acordo com o artigo 12 da Lei n. 8.429/92, que prevê  a suspensão dos direitos políticos pelo período de cinco a oito anos.

Fonte: "mprj"


Comparando os gastos com as honrarias concedidas pela Câmara de Vereadores de Búzios

Não encontrei nenhum registro nos BOs a respeito dos gastos feitos pela Câmara de Vereadores de Búzios antes de 2010. Muito estranho porque o Boletim Oficial foi criado por lei em 2005.

1) GESTÃO MESSIAS 2009-2010

1.1) GASTOS COM HONRARIAS 2010: R$ 15.215,00 (sem cálculo do valor unitário)

Gestão Messias, BO 459


Como não é informado a quantidade de honrarias não podemos calcular o valor unitário de cada uma delas. No ano anterior, também na gestão Messias, foram distribuídas 76 honrarias: 46 títulos, 20 moções e 10 medalhas.

2) GESTÃO JOÃOZINHO 2011-2012

2.1) GASTOS COM HONRARIAS 2011: R$ 23.680,00 (sem cálculo do valor unitário)

Gestão Joãozinho, BO 508


Como também não foi informado a quantidade de honrarias não podemos calcular o valor unitário de cada uma delas.

2.2) GASTOS COM HONRARIAS 2012: R$ 54.990,00 (R$ 886,93 por honraria)


Gestão Joãozinho, BO 551


Como foram concedidas 62 honrarias (10 moções, 44 títulos e 8 medalhas), cada honraria custou R$ 886,93.

3) GESTÃO LEANDRO 2013-2014

3.1) GASTOS COM HONRARIAS 2013: R$ 14.628,00 (R$ 239,80 por honraria)


Gestão Leandro, BO 611


Como foram concedidas 61 honrarias, cada honraria custou R$ 239,80.

3.2) GASTOS COM HONRARIAS 2014: R$ 18.950,00 (R$ 315,83 por honraria)

Gestão Leandro, BO 665

Como foram concedidas 60 honrarias (20 moções, 30 títulos e 10 medalhas), cada honraria custou R$ 315,83.

4) GESTÃO HENRIQUE GOMES 2015-2016

4.1) GASTOS COM HONRARIAS 2015: R$ 25.955,00 (sem cálculo do valor unitário)

Gestão Henrique Gomes, BO 723


4.2) GASTOS COM HONRARIAS 2016: R$ 36.444,00 (R$ 544,00 por honraria)


CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONFECÇÃO DE HONRARIAS, TIPO: TÍTULO CIDADÃO BUZIANO, MEDALHAS E MOÇÕES EM COMEMORAÇÃO AO 21º ANIVERSÁRIO DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICO ADMINISTRATIVA DA CIDADE DE ARMAÇÃO DOS BÚZIOS .CONFORME MEMORANDO Nº 263/2016.

5.882,00

Empenho: 148/2016

JORGE FERREIRA VIVAS ME

Processo: 258/2016

Data: 04/11/2016


VALOR REFERENTE A PRESTAÇÃO SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM HONRARIAS, TAIS COM; TITULOS DE CIDADÃO, MEDALHAS E MOÇÕES, AS QUAIS SERÃO ENTREGUES EM SESSÃO SOLENE EM COMEMORAÇÃO DO 21º ANIVERSARIO POLITICO-ADMINISTRATIVA DE ARMAÇÃO DOS BÚZIOS, CONFORME LICITAÇÃO 04, MODALIDADE PREGÃO, EFETUADA EM 21 DE OUTUBRO DE 2016.

21.360,00

VALOR REFERENTE A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM HONRARIAS, TAIS COMO; TITULOS DE CIDADÃO, MEDALHAS E MOCÕES, EM COMEMORAÇÃO AO 21º ANIVERSARIO DE EMANCIPAÇÃO POLITICO-ADMINISTRATIVO DE ARMAÇÃO DOS BUZIOS, ATRAVES DA LICITAÇÃO 04/2016, EM 21 DE OUTUBRO, MODALIDADE PREGÃO.


9.202,00

Total gasto com as honrarias: 36.444,00

Fonte: portal da transparência da Câmara 

Como foram concedidas 67 honrarias, cada honraria custou R$ 544,00

5) GESTÃO CACALHO 2017-2018

5.1) GASTOS COM HONRARIAS 2017: R$ 49.374,00 (R$ 551,00 por honraria)


Gestão cacalho, BO 844


Como serão concedidas 90 honrarias, cada honraria custará R$ 551,00

Meu comentário: 


Não se compreende porque os preços das honrarias (moções, títulos e medalhas) variam tanto. Passou de 15 mil reais em 2010 para 23 mil reais em 2011 e mais do que dobra no ano seguinte. Mesmo que não se saiba o número total de honrarias confeccionadas em cada ano, não é possível que o seu número varie tanto de ano pra ano. Em 2012, gastou-se mais do que o dobro do que foi gasto em 2011. Com explicar que a honraria cotada a R$ 886,93 a unidade em 2012 na gestão Joãozinho, despenque para 239,80 no ano seguinte na gestão Leandro. Com o agravante do fato de que a empresa VISUAL GLOBAL confeccionou as honrarias nos dois anos, em 2012 e 2013. Por que tão gritante diferença de preços? No ano seguinte, com outra empresa contratada, o preço volta a subir para R$ 315,83. Sobe novamente em 2016 para R$ 544,00. E mantém-se praticamente estável neste ano em R$ 551,00.

As mesmas disparidades se observam em outros gastos feitos com a sessão solene.  Messias gastou com buffet, aluguel de auditório com equipamento sonoro R$ 20.438,00 em 2010. Em 2011, Joãozinho gastou com recepção, ornamentação, sonorização e iluminação R$ 15.830,00. No ano seguinte, 2012, pagou por estes mesmos serviços R$ 22.850,00. E acrescentou novos gastos: R$ 11.060,00 com banners e folders e R$ 10.920,00 (?) com "convites".

Em 2013, Leandro gastou R$ 26.004,00 com buffet no Hotel Atlântico e mais R$ 23.550,00 com sonorização, iluminação, ornamentação e recepção feita pela 3J Eventos. No ano seguinte, 2014, repetiu a dose com ambas as empresas. desembolsou a mais R$ 7.760,00 pela recontratação do serviço de buffet do Hotel Atlântico e R$ 9.436,00 pelo serviço da 3J. Ainda gastou mais R$ 24.800,00 pela gravação em vídeo da sessão solene (Kep Jan Tecnologia).

Em 2015, Henrique Gomes também contratou a 3J para decoração, ambientalização, locação de equipamento de som, iluminação, buffet, equipamento de apoio, materiais de apoio e outros (?) por R$ 106.549,60. No ano seguinte, contrata outra empresa (Rio Brasil), pelos mesmos serviços, por R$ 137.596,00. E ainda gasta mais R$ 7.910,00 com a confecção de banners, lonas, adesivos, painéis e placas de identificação e R$ 5.940,00 com "convites".

Para o serviço de buffet, ornamentação e outros (?), Cacalho contratou este ano a empresa STRONG por R$ 73.520,00. 

Comentários no Facebook:  

Thomas Sastre Deixem os caras comer em paz
Gerenciar
Aristóteles B. Da S. Filho Não é necessário todo esse valor, nós não sabemos o custo real do legislativo.
Gerenciar
Luiz Carlos Gomes 6,887 milhões de reais em 2017
Gerenciar
Sonia Pimenta Olha o foco! Temer e seus capangas.
Gerenciar
Ricardo Guterres Vai ser solene assim na PQP.....
Gerenciar
Mônica Casarin Vamos rir, afinal somos babacas mesmo.
Responder
1
2 h

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Ainda a respeito dos custos da sessão solene da Câmara de Vereadores

Este ano, na gestão do Presidente Cacalho, a Câmara de Búzios vai pagar R$ 73.520,00 à Empresa STRONG SERVICOS E REALIZACOES EIRELI -ME PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ORNAMENTAÇÃO, BUFFET E OUTROS, PARA A REALIZAÇÃO DA SESSÃO SOLENE, EM COMEMORAÇÃO AO 22º ANIVERSÁRIO DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA DE ARMAÇÃO DOS BÚZIOS". 
Licitação: 005/2017
Processo: 108/2017
Empenho : 198/2017
Data: 02/10/2017


No ano passado, na gestão Henrique Gomes, foram gastos R$ 137.596,00 com a realização do evento comemorativo dos 21 anos de Búzios. 

BO 785, 10/11/2016
BO 727, 3/12/2015

Meu comentário: 

Cacalho vai gastar R$ 73.520,00 e Henrique gastou R$ 137.596,00. Enquanto a Câmara não uniformizar estes gastos não teremos termos de comparação. Cacalho diz que vai gastar com os serviços de "ornamentação, buffet e outros". O que são estes "outros"? Henrique também fala em gasto com buffet, mas lista uma série de outros gastos: "decoração, ambientalização, locação de equipamentos de som e iluminação, equipes de apoio, materiais de apoio e outros". 

Por outro lado, é possível compararmos os gastos de 2015 e 2016, ambos da gestão Henrique Gomes, porque os objetos são os mesmos. O que fez o preço subir tanto de um ano para o outro? De R$ 106.549,60 para R$ 137.596,00, um acréscimo de 29% em relação ao preço cobrado pela empresa 3J Eventos e Turismo Ltda

Por sinal, esta mesma empresa- 3J Eventos- cobrou apenas R$ 23.550,00 pelos serviços de sonorização, iluminação, ornamentação e recepção para sessão solene de 2013 na gestão Leandro. Como explicar tamanha diferença de preços? Os serviços prestados não foram os mesmos?   


BO 607, 31/10/2013